quarta-feira, 9 de junho de 2010

Cadeirinha do carro. Precisa de multa???

foto tirada do site www.g1.globo.com

Como de costume, fico esperta quando o assunto é orientar os meus ouvintes sobre a segurança/qualidade de vida das crianças.
Pauta já anotada há séculos, matéria sobre a obrigatoriedade da cadeirinha de carro para condução de crianças de 0 a 7 anos e meio foi concluída ontem antes do almoço.
Entrevistei comandante do Policiamento de Trânsito e tals, mas a noite, já em casa, vi num dos jornais da TV que essa "obrigatoriedade agora infração gravíssima" foi adiada até dia 1º de setembro.
Ok que faltam cadeirinhas no mercado. Ok que o governo prometeu fazer campanhas e afins e nada. Ok que não se discutiu o preço desses dispositivos e muito menos como vai fazer a população que não tem condições de adquirir um bebê conforto/cadeirinha/booster para cada um dos filhos.
Orientação ZERO.
Aí, lógico (como em toda campanha de vacinação que absurdamente tem o prazo mais elástico que a Mulher Incrível) que jogaram o limite 3 meses pra frente.
E resolve?
Junto aqui algumas questões básicas:

1) Precisaria mesmo ameaçar de multa pra que se cuide da segurança de uma criança nesse trânsito louco de meu Deus?
2) De onde saiu essa resolução 277 que não pensou nas famílias que tem 3 filhos ou mais?
3) Porque pensar tanto no valor da multa e não no das cadeirnhas (item nada barato do enxoval, diga-se de passagem)?
4) Porque a campanha da AIDS no Dia dos Namorados (que está aí bombando) é muito mais importante do que a questão da cadeirinha?
5) Brasileiro deixa TU-DO mesmo pra última hora, mesmo quando se trata da segurança de um ser querido?

Temos então o que não posso chamar de outra coisa a não ser falta de responsabilidade. Dos pais e das autoridades.
Vi na TV ontem um comerciante que diz ter 300 pessoas na fila esperando para comprar a bendita cadeirinha. Porque só agora? A segurança do seu filho vale os 191 reais e 54 centavos da multa ou os 7 pontos na carteira de habilitação?
Quem tem criança pequena pra carregar já deveria ter um dispositivo de segurança desses, creio eu.
Quem tem condições de ter um carro, lógicamente pensando, tem como adquirir um acessório que vai proteger seu filho/neto/sobrinho/afilhado.
Sei que não é tudo tão simples assim, mas vem cá, esperar o governo ameaçar multar pra começar a pensar no caso?
Não me conformo.
E as empresas fornecedoras de cadeirinhas??????
A resolução 277 deu um tempinho básico (desde junho do ano passado) pra que todo mundo se adaptasse a regra.
Então, não produziu porquê? Os comerciantes não reforçaram seus estoques por qual motivo?
Alegam que foi a falta de procura por parte do consumidor, e hoje consumidor reclama que a loja não tem cadeirinha pra vender.
Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?
Gente! Cadeirinha pra carregar criança no carro é item obrigatório! Não porque a polícia vai multar se pegar, mas porque seu filho pode morrer caso aconteça um acidente.

Vai aqui um recado pras Donas Vovós que tem dó do pobrezinho do netinho que fica todo amarrado na cadeirinha:
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a utilização correta da cadeirinha reduz em 70% a possibilidade de morte de um bebê em acidente.
Balanço da OMS aponta que de 2000 a 2007 mais de 180 mil crianças foram vítimas de acidentes de trânsito no país, das quais mais de 8 mil morreram.

E aí? vai arriscar?

***Em tempo: Tenho uma enxurrada de selinhos pra postar e distribuir mas o tempo tá curto. Prometo que faço isso ainda essa semana.

23 comentários:

Fabi disse...

O recadinho no final tá 'ótemo' para a vó do Gu, que também atende por minha mãe! rsrsrs
Bjocas

Tathyana disse...

Adorei seu blog Carol. Realmente eu não consigo entender como alguém transporta seus filhos queridos soltos por aí? Já vi muita gente fazer isso e não é falta de dindim pra comprar a dita cuja. É falta de amor mesmo!!!

Bjsss

Paty Fortunato disse...

Ahh...concordo com tudo q disse,brasileiro deixa tudo mesmo pra última hora! E segurança dos nossos filhos valem mto mais do q qualquer multa. Tb acho q não precisa ameaçar.


Beijocas!

Camila disse...

Carol, imagina só o meu problema com 3 crianças... Além da trabalheira, tem a questão do rodízio, daí a gente tem q ficar trocando todas as cadeirinhas de carro, passado o rodízio, voltam as cadeirinhas para o meu carro, é um inferno!! E não dá para equipar os 2 carros com 3 cadeirinhas em cada. É um saco mesmo! Estou indignada!!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Mamãe Livia disse...

Carol, falou T-U-D-O! E o pior é que, corroborando a falta de responsabilidade de algumas (ou muitas) pessoas que deixam sempre tudo pra ultima hora, o prazo para o início da fiscalização foi prorrogado até setembro. Como se até lá fosse seguro continuar andando fora da cadeirinha...
Mas como aqui a consciência da maioria das pessoas só é acionada quando dói no bolso, o jeito é multar mesmo... Fazer o quê, né?
bjo
Livia

Ana - Viajar é tudibom! disse...

Carol! é um absurdo tudo isso! Nem sei o que é pior: o governo inventando multas, ou os pais esperando as "ameaças" para ir correndo ficar na "fila de espera" para AGORA comprar um utensílio o qual está em jogo a vida de um ser, esse SER seu FILHO! Peloamordedeus né? Fico de cara, olha, o Pedro Augusto já saiu da maternidade "todo molenga-pescocinho dobrado" no seu bb conforto que na época eu chamava de bb DESCONFORTO, mas depois fomos: eu e ele se acostumando, tirando o ítem de Suma IMPORTÂNCIA, SEGURANÇA e agora OBRIGATORIEDADE, o meu marido não precisava ir de "chofer" eu deixava o pimpolho bem amarradinho no cinto e ía tranquila! Além de ter servido como caminha pra ele em todo o lugar que íamos, principalmente para jantar um dos ítens na mesa era o bb conforto e o Pedrão estarrado lá dentro! Esse dá para usar cfme especificação no produto até os 13 Kilos, mas missão impossível, com 11 meses ele já foi para a cadeirinha nova como "homenzinho" virado pra frente.
Eis uma dúvida, não sei se pode nos ajudar?!
O Pedro Augusto vai atrás do banco do carona, já ouví falar que o correto é dessa forma, jamais atrás do motorista- sabes me dizer?
Pelo lado "lógico" acho que sim, pq em uma situação de acidente é + provável que bata esse lado do carro que o lado que está ao acostamento.
Falei, ufaaaaaaaaaaa kkkkkkkkkkkk
Big beijo (qto aos selinhos, menina- tenho um monte para postar- acho que essa semana será a dos Selinhos!)

Dani disse...

Carol, a pergunta do título do seu post é a que me fiz quando soube destes prazos e desta campanha. Eu achava que já existia fiscalização e multa no uso das cadeirinhas. E quer saber? Se não existisse, não estaria nem aí. Usaria do mesmo jeito!
Já tenho três cadeirinhas, mesmo antes da filhota nascer. Uma para o meu carro, uma para o marido e outra para a minha mãe. O fato de ter herdado duas usadas ajuda e muito, lógico, mas tem coisa com a qual a gente não economiza, e segurança certamente é uma delas. Eu com certeza teria pelo menos duas cadeirinhas (uma para alternar entre os carros daqui de casa e outra para deixar na minha mãe). O orçamento está apertado? Corta o enfeite da porta da maternidade, o book de gestante... mas não corta a cadeirinha!

Dani - mãe perua

Sarah disse...

Apoiadíssimo Carol! Disse tudo e mais um pouco! Também tenho cadeirinha pro Bento antes de surgir essa lei, por motivos óbvios de segurança do meu filhote!
um beijo!

Beta disse...

E pensar que eu era taxada de exagerada quando fazia questão de levar o bebê conforto/cadeirinha para todas as saídas com a Alice. Agora temos uma cadeirinha maior no carro mas enquanto ela não chegar aos 13kg uso o bebê conforto quando saio com ela sozinha de táxi ou em carro de amigos e parentes. Cansei de chamar táxi e explicar que tinha que ter o cinto de 3 pontos no banco de trás e tal...e tal, e mandavam um sem. Lógico que eu dispensava e muitas vezes o motorista batia boca comigo. Teve um que se achou o inteligente e informado, me falando em tom de repreensão: "- Mas a obrigatoriedade vale só a partir de junho e a senhora não precisa se preocupar pq táxi não leva multa."
Olhei para ele e disse calmamente: "- Olha, sinceramente estou pouco ligando se o senhor vai levar multa ou se é ou não obrigatório pq a minha ÚNICA preocupação é a segurança da minha filha, sabe como é?".
Fora as pessoas da própria família que não achavam necessário 'amarrar' a pobrezinha na cadeirinha se o percurso fosse curto. Nunca dei bola, mesmo que fosse andar duas quadras ia na cedeirinha.

É o cúmulo, mas muitas pessoas simplesmente não entendem a dimensão do problema.

Bjão

Chris Ferreira disse...

Oi Carol,
é isso aí. Não deveria precisar de multa, deveria ser responsabilidade dos pais.
A minha questão ficou em relação aos taxis. Deveria ter como em outros países os taxi família e esses deveriam ter cadeirinha para as crianças. Eu ando muito de taxi e a maioria deles nem tem cinto disponível na prate de trás.

Quando ao bicho de pé rosa acho que fica melhor com corante porque não altera o sabor nem a consistência. Já fiz com quick, mas fica enjoativo. Já fiz com gelatinha mas fica um pouco duro e tem que colocar pouca gelatina. Então a melhor opção é o corante. POucas gotinhas já dão a cor.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Simone disse...

Eita que esse post vai puxar a orelha de muita gente!

Eu concordo em gênero, número e grau e acho que o item deveria ter sido, desde sempre, obrigatório.

Esses dias coloquei Sofia na cadeirinha e conversa vai, conversa vem, esqueci de prender o cinto de segurança. Quando liguei o carro ela me chamou a atenção perguntando se eu não estava esquecendo nada. haha. Sempre falamos pra ela que nos preocupamos com sua segurança e ela sempre aceitou numa boa. Tanto é que ela não aceita andar sem a cadeirinha...

Então é isso, Carol.Vamos incutindo essas idéias na cabecinha dos nossos maiores tesouros pra termos tranquilidade na vida.

Bjs meus e da Sofia!

fabi disse...

Você tem toda razão. O que esses pais tem na cabeça? Só vão usar cadeirinha se a polícia multar? Sérá que não assistem tv? Não vêem todos os dias crianças serem jogadas para fora do carro porque estavam sem cinto? Sem cadeira? Meus filhos sempre viajaram no banco de trás com cinto e com a cadeirinha. É isso ou o carro não anda e ponto. Quando me perguntam porque o amiguinho pode ir na frente e eles não, digo que os pais dessa criança não devem amá-las muito senão cuidariam melhor dos seus filhos para que nada de ruim aconteça com eles.Beijos

Coisas de mãe disse...

Oi Carol tô super feliz que você já recebeu (e leu) o livro!
Sobre esta historia da cadeirinha, concordo com teu post. MAis uma lei mal resolvida ne? Coitadas das familias grandes (sem falar das sem recursos). Uma amiga minha que tem 3 filhos e vive com 2 sobrinhos pendurados nela acabou de comprar um carro que é quase um ônibus. MAs ela pode ne? E quem não pode? Acho que deveriam existir alternativas SEGURAS, mais baratas. E por falar em vô, minha mãe foi uma destas que ta na fila pra comprar mais cadeirinhas, porque o PEdro vai ter que usar cadeirinha por mais 6 meses! heheh

beijos

Pati

http://coisasdemae.wordpress.com

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Esse é mesmo um assunto bem polemico!! acho um absurdo as coisas terem que doer primeiro no bolso para se fazer efeito( igual a lei seca.)e a segurança dos filhos,meu Deus?? vale menos que a multa??? não tem o que se pensar..
fora esses itens que vc colocou em pauta( familias numerosas,etc.) ontem na minha familia surgiu uma polemica... quer dizer que se eu encontrar uma amiga na rua com a criança ,vou deixa-la a´pé e não dar carona pq n tneho cadeirinha... ao mesmo tempo penso na segurança do filho dela..mas sei lá...
isso ainda vai dar muito pano para a manga...
bjkas!!

Lilian disse...

Preciso compartilhar uma historinha verídica! Aconteceu comigo, no dia em que saí da maternidade...

Vida nova, tudo novo... o carro com a cadeirinha desde o 7º mês de gestação, por que vai que o bebê resolvesse chegar de sopetão, né... Daí, no dia da alta, o papai vai todo fofo e orgulhoso buscar o carro (era domingo, 20h), adivinhem!!! O estacionamento estava fechado, trancado, lacrado, e nosso carro - COM A CADEIRINHA - lá dentro!!!

E aí alguém falou... tudo bem, a gente pega um táxi... Helloooooo! E o táxi teria cadeirinha??? De jeito nenhum...

A benção é que antes mesmo de ouvir algo deste tipo, o paizão-super-responsável já tinha ligado para o padrinho do rebento - que já é papai e tem uma cadeirinha do no carro - para que viesse nos buscar!

Deusducéu... quem não tem cão, caça com gato, né?! Mas nunca que eu ia tirar o pequeno Lucas da maternidade sem ele estar na cadeirinha!

Super beijo, da também indignada com toda essa papagaiada de 'deixa pra depois de novo',

Lilian
http://rodrigoelilian.blogspot.com
http://viajemaispormenos.blogspot.com

Thaty disse...

Parabéns pela postagem. Vc disse tudo o que eu penso sobre o assunto e ia colocar num post no meu blog. Aliás, vou fazer e citar você, tá?

Abraços!

Ioly a dona do verdades... disse...

Se perguntarmos a uma mãe, qual o 'bem' mais precioso que possui, alguém tem dúvida da resposta? Tirando uma desnaturada ou outra (acredito que 1 em 1.000.000.000.000). Quando gostamos de algo, por instinto cuidamos, a calça, a casa, o carro, mas pense bem, é nosso filho, todo o resto vc compra de novo, conserta. A vida é única, esse amor de sua vida é insubstituível...
Vale ou não vale o preço de um acessório, caro, mas muuuuito necessário?
Obrigada pela visitinha, lá no verdadesdemae!
bjus

carol disse...

Paraéns pelo texto! Concordo com voce, não me conformo em as pessoas so se "conscientizarem" da importancia da cadeirinha quando doer no bolso.
Desde a vinda da maternidade Miguel anda no bebê conforto e agora na cadeirinha, item indispensavel aqui. E graças a Deus sempre foi pq tem duas semanas batemos de carro, uma coisa não tão grave mas que poderia ter sido se ele não estivesse na cadeirinha e nós com cinto de segurança.

Obrigada pela visita no blog e volte sempre ta?!

bjoss

RENATA RZ - Dicas Green disse...

Oi Carol!!

É, minha filha está na cadeirinha desde sempre. Mas não é toda hora que consigo afivelá-la.

Só que vou desabafar: o fato de multarem a torto e direito é pelo motivo de sempre.. tá faltando arrecadação pro bolso "deles"..

Eco-kisses!!

Mamma Mini disse...

Realmente né Carol, fim de lá piquê, claro que criança tem que ir na cadeirinha e claro que isso não deveria ter multa, segurança de filho né gente, quer mais que isso? fala sério... meu filho odeia ficar afivelado no cinto e se liberta sempre dos braços mas continua preso pelo das perninhas, mas é cadeirinha e ponto final, nem pra ir até a esquina porque é nesses momentos que as coisas acontecem, então eu não jogo com a sorte e nenhuma mãe ou pai deveria, portanto cadeirinha no carro é básico, tá fora de discussão né? bjs chere

Carol Garcia disse...

estamos todas revoltadas meninas. todas.
bjocas

Chris Ferreira disse...

Oi Carol,
adoro os seus posts (já comentei esse) e adoro receber os seus comentários.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Martha. disse...

Oi Carol, 1º vez que passo por aki e já gostei... Esse assunto é constante na familia desde que a pequena nasceu. Eu sempre fiz questão da cadeirinha. Eu lembro de ter visto sobre um acidente onde os pais morreram e o bb só sobreviveu por causa do bebe conforto, então sempre achei impressindível. O bb conforto da pequena já esta na segunda geração e logo logo vamos trocar o bebe conforto pela cadeirinha de 0 a 25 kg pq acho mais confortavel do que o bb, mas não tem como deixar de usar. Laís chora, esperneia, come dedo da mamãe mas de lá não sai.
Bjs e agora passo por aki sempre!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails