segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Cama compartilhada.

O termo "cama compartilhada" é um tanto novo pra mim.
Mesmo eu compartilhando, carregando Isaac pra minha cama desde sempre, eu fazia da forma coloquial: "dava uma beira", "chamava pra juntinho", "deixava ele curtir o meinho" e afins.
Tá.
Compartilho sim.
Não acho errado, aliás é certo demais dentro do conceito que tenho de criar a criatura.
Mas compartilho com moderação, digamos assim.
Não é toda noite, não é sempre e tem lá que carregar alguns motivos.
Esse cuidado tem como norte algumas razões básicas:
Ficar agarradinha com o filhote é uma delícia, até ele colocar a capacidade de só dormir atravessado na cama em mode on.
Sentir cheirinho do baby enquanto dorme é mágico, até ele vazar em você 30 minutos antes do seu despertador tocar.
Receber carinho do filho é lindo, até que o carinho com o marido fique diminuído.
Entende?
Limites.
Isaac sabe sim que pode ir pedir beirinha na minha cama. E o safado me chama de "amooooor" quando o faz de madrugada.
Mas sabe também que não é toda noite.
Tem dias que me chama lá do quarto e pede que eu fique com ele. Tem dia que aparece do meu lado. Tem dia que me chama já pedindo se pode pular pra minha cama.
Ele testa, eu também e a gente aprende junto.
Mas e aí?
Qaundo então pequeno ganha o plus cama da mamãe?
Não é regra, tá?
Mas tem sido assim:
Tá doentinho, mais carente? Compartilhamos
Teve dia agitado ou passou por experiência não-bacana? Compartilhamos.
Acorda com medo, sonho ruim? Compartilhamos.
Vazou? Limpamos e compartilhamos (e aqui é uma questão prática).
Saudade? Mamãe carente? Papai viajando? Compartilhamos. Ô.
Mas sabem o que é melhor?
Fazer essa divisão de espaço sem culpa ou já esperando que vá criar um trauma ou uma dependência psicológicamente errada.
Compartilho porque é bom. É gostoso. Nos faz bem.
E pronto.

20 comentários:

Renata disse...

Apoiada! Aqui tb compartilhamos sempre que necessário (ou sempre que
ele pede mesmo....rs!)
beijoca

Genis disse...

Eu tb não entendo pq criam um polêmica em cima disso...
A vida materna é cheia de fases e compartilhar a cama faz parte!
Meus pais compartilhavam a cama comigo e me fez muito bem!
beijos querida e ótima semana, Genis ♥

Pequenos Mimos disse...

Aqui também é assim, compartilhamos e nem ligo quando os outros nos dizem que estamos errados, sempre respondo o errado de um pode ser o certo para outros, aqui funciona muito bem.
bjs

Re disse...

Manu nunca dormiu na minha cama, em compensação a Cuca, vira e mexe da uma jeito de nos convencer a deixa-la a passar a noite com a gente, rs. Mas voltando a Manu, acredito que seja pq ela ainda eh muito bebe, pois qdo ela crescer e descobrir que exite uma cama enome que ela pode dormir, junto com o papai e a mamae, ai suas regras vao entrar em pratica, rs.

Thaís Rosa disse...

perfeito carol.
aqui em casa também é assim.
antes fazia com caio, agora mais com nuno.
sem culpa e sem medo de ser feliz.
você me deu uma boa ideia de post!
beijoca
thaís
(pena que não vei pra são carlos! quem sabe nos encontramos numa próxima...)

Mamma Mini disse...

Tô c vc Carol, aqui a gente compartilha sempre too! Sempre que ele tem pesadelo, que está dodói, que faz xixi na cama, ou seja, falou que quer ir pra cama dos pais, vai pro meinho e fica. Acho que vou precisar de uma king size quando o Beny tb fizer isso porque já temos eu, marido, David e Twiggy (sim a cachorra compartilha a cama long long time ago...rs) beijo querida!

Tatei e Nana disse...

Concordo plenamente!!!
Havendo limites, é a melhor coisa do mundo o calorzinho dos pequenos pertinho da gente! :)
Bjk

Francine Barrionuevo disse...

Assino embaixo. Em casa faço tudo igualzim...rsrsrsrs
bjão

http://amaequeeuseiser.blogspot.com/

Dani disse...

Nossa, você tirou o texto da minha bocaaaa, quer dizer, da minha mente.

Adorei isso e ontem estava cá pensando com os meus miolos que o difícil não é dizer "não" à cama compartilhada e resistir à tentação da facilidade e do prazer (imenso) de se dormir com a cria. O difícil é saber quando compartilhar. Quando dizer não e quando dizer sim. Dizer sempre não é até fácil perto de ponderar as situações e aceitar que um dia dormimos juntos e no outro, não.

A Laura está com quase 12 meses (êêê) e agora estou colocando ela para dormir comigo mais vezes, ela ficou muito estressada com o engatinhar, virou bebê de novo (não sei pq!), não queria mais comer, só queria o meu colo e tudo isso a partir do momento em que engatinhou (aos 11 meses). Depois desse estress dela, resolvi que uns dias ela dorme comigo e outros, em que está mais calma e mais feliz, dorme sozinha.
Ponderar é realmente a alma do negócio.

Excelente!

Beijo,
Dani

Dea, a mamae da Nina disse...

nao compartilho, marido tb nao é adepto e Nina é uma criança feliz em sua caminha todinha p ela. Cada casa é um caso e no nosso optamos pela nossa liberdade noturna. Desde 8 dias ela dorme em seu quarto e conto nos dedos de uma mao as vezes em q ela veio mas nao dormiu em nosssa cama. Bjs bjs

Rachel disse...

Adorei Carol. Lá em casa tb não gostamos de fazer sempre. até porque o marido não dorme nada quando do david está na cama! Mas eu amo sentir ele perto, sempre com limites hehehe. delícia demais! beijos!!

Gulli disse...

Bom ler esse post e os comentários eu também compartilho a cama, só que mais por uma necessidade do que outra coisa e fico muito preocupada e as vezes me achando até uma fracassada como mãe nessa parte pois Lara tem 2 anos e só dorme conosco e não sei como será quando formos pro nosso ap.
Mas agora sei que não estou sozinha e que isso pode sim ser resolvido.
Obrigada um beijão Carla

Sarah disse...

Isso aí Carol, sem culpa. Também compartilho na boa. E Bento é grudinho, por ele seria toda noite. Às vezes me chama e eu vou pra cama dele, aí na esperança de ele dormir mais um pouco, fico por lá...
Ah, e eu tinha esquecido do baleiona! Até atualizei o post agora com teu link hehe..
bjos

Juliana disse...

E atire a primeira pedra quem nunca compartilhou? Eu sou a rainha do compartilhamento, e faço como tu, sem culpá, com prazer, por amor.Manda um email pra mim Carol pq fechei o blog e gostaria que continuasses nos acompanhando quando possível.
julianacmdiasmelhores@gmail.com

Lu Azevedo disse...

Carol,

Não é atoa que compramos uma king sized bed quando chegamos no Canada. Maternidade é isso, se adaptar, ir contra os padrões quando necessario. Aqui, como Rafa passa MUITO tempo viajando, é raro quando eu NÃO compartilho minha cama com ele: mais comodo, mais gostoso e mais conveniente. O que eu vou fazer qdo a Lily chegar? Não tenho ideia! Mas como tudo nessa vida, a gente resolve (menos o desfralde, é claro, rsrs).

Beijos e boa compartilhada por aí! Sem grilos, amiga!

Lu

Lu Azevedo disse...

Ah! Sobre quando vou voltar a trabalhar no pós Lily, realmente ainda não tenho ideia. Sei que já estou com uma fila de 12 ilustrações pro proximo ano sem data prevista pra entregar. Eu talvez comece bem devagar, a partir de abril (?). Posso tanto colocar seu nome na agenda de uma vez, quando podemos ir conversando e vou te falando sobre minhas expectativas a medida que as coisas acontecem.

E ó, cães, é?.... hmmmm... adoro! :D

Beijos, beijos!

Celi disse...

Carol,
Adorei! Acho que é isso mesmo. Sou da mesma opinião e atitude que você. Tem que compartilhar sim, mas nada melhor do que cada mãe para saber o momento certo e para estabelecer os limites.
Um beijo e boa semana.

Iolanda Lopes - Verdades e Carinho de Mãe disse...

Não vejo problema algum.
Se todos estão felizes, por que os não envolvidos parecem se incomodar?
Estamos falando de crianças. A infância é a época de estarmos juntinhos, faz parte.

A Mi acabou de sorteá-la na promoção de divulgação da "Carinho de Mãe Papelaria"
Parabéns e obrigada por participar!
bju no coração

(Mamãe) ~Pinel disse...

Confesso que depois que a Lara passou a dormir a noite inteira, e não acordar nem para mamar, a necessidade de dormir juntinha com ela é completamente minha. Todos os dias, dormimos juntas, até mesmo porque não moramos com o papai. Quando dormimos juntos, a Lara fica no berço, que, de qualquer jeito, fica no meu quarto (em minha casa) ou no quarto do Lucas (na casa dele).
Quando tivermos a nossa casa, e ela o quartinho só dela, é que veremos o que é não compartilhar cama/quarto.
Mas enquanto isso, curto cada noite fazendo carinho, e apertando muito a minha princesa. Paro só quando ela reclama e ameaça acordar! hehe


Beijo!

Carol Lannes disse...

Estou no momento de colocar os limites. Compartilhava a cama com meu bebê de 9 meses... até que dormir ao meu lado não era mais suficiente. Ele queria dormir literalmente em cima de mim, nas minhas costas, além de querer mamar cada vez que despertava à noite. Então tive que colocar um espaço maior entre nós: O berço.
Ele precisa aprender também a dormir lá, e agora, minha cama só em ocasiões especiais.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails