quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Mais do integral...

Culpa de mãe é uma merda.
Perdoem-me a falta de educação com o vocabulário, mas é.
Acontece que eu já não era o ser mais feliz do mundo deixando Isaac duas vezes por semana em período integral na escolinha.
Hoje então, que o esquema me obrigou a três vezes semanais, babou.
Babou pra não tascar aí outro palavrão.
Explico.
Se é que precisa.
Até porque já falei disso aqui e tive apoio de mãezocas queridas e maravilhosas. Cheias de experiência, bossa e bom humor.
Tá.
Mesmo observando tudo, analisando, questionando a escola, vendo os resultados positivos eu não tô sossegada.
Não pela qualidade dos profissionais que cuidam do Isaac.
Acontecem falhazinhas sim, mas ó que perfeição nem em casa, né?
Conversa aqui e alí e as coisas se resolvem.
Eu não tô sossegada mesmo por conta da culpa, essa bandida.
Calculem comigo:
Segunda, quarta e sexta saio de casa com Isaac dormindo e só o vejo às 17h30.
Até às 20h, horário que ele dorme, temos a rotina banho-janta-meia horinha da TV. E nessa última, diga-se de pssagem, sou ser ignorado.
Sim senhoras, já transformei a hora do banho num momento só nosso, banheira cheia e brincadeiras mil. Aliás, não sei se perceberam, os altos papos que tenho com filhote são pós-banho.
Mas tá bom.
É.
Até que Isaac precisou ir pra natação.
Ele caiu na piscina, escorregou, a gente assustou e no dia seguinte foi pra aula.
Duas vezes na semana, ou seja, terça e quinta já com horário comprometido.
Fico lá, espio, participo quando ele deixa.
(pode? filhote não quer mais que eu fique assistindo a aula....)
Mas olha a culpa aí, geeeeente!
E eu tô achando tudo demais.
Dias demais na escola, atividades demais na semana, eu tempo demais longe da cria.
Neurótica? Louca?
Posso ser, sim.
Alguém aí me entende????

17 comentários:

Karen disse...

Não só entendo, como sofro igual...
Pôxa, quando minha mãe dizia que preocupação de mãe não acaba nunca, nem quando os filhos crescem, eu achava que era exagero dela. Mas eu não tinha tido filhos ainda.
Eu ainda estou em licença maternidade (mas sou privilegiada, aqui na Alemanha ela é beeeem longa, 1 ano de licença remunerada com 65% do salário e 3 anos no total, se quiser prolongar a licença em mais 2 anos sem remuneração), mas já estou sofrendo horrores quando penso em voltar ao trabalho em abril do ano que vem, quando minha caçulinha estiver com 14 meses.
Estou pensando seriamente, aliás, em não voltar. Estou pensando em mudar de ramo ou ficar em casa em período integral.
Mas fico muito angustiada pois tenho medo de não conseguir voltar ao mercado de trabalho depois que as meninas estiverem maiores e que não precisarem mais tanto de mim.

Na minha modesta opinião, acho qeu você não é nem neurótica, nem muito menos louca, apenas mãe, tentando fazer o seu melhor. De repente, se achar que está ficando pouco tempo com ele, tente tirar uma atividade para poderem curtir mais o tempo juntos... Ou fique ainda mais tempo no banho :-)

Beijo,
Karen
http://multiplicado-por-dois.blogspot.com/

Liza disse...

A gente entende sim, Carol!!

Queria também ter mais tempo com o filhote (que é bem menor que o Isaac, completa 8 meses na quinta), mas há um mês voltei a trabalhar e ele tem ficado na creche TODOS OS DIAS em horário integral. Achei que minhas neuras, inseguranças e culpa iam amenizar com o tempo, mas lendo o seu texto dá para ver que elas não vão embora não. A gente é que tem de aprender a admnistrar tudo isso melhor!

bju

Fá, Mãe da Ana Luiza e do Gustavo! disse...

Ixi, Carol, entendo sim... apesar dessa culpa não me consumir muito, ela está sempre presente no dia a dia. Os meus pequenos ficam o dia todo na escola. Deixo às 8:30 e pego às 17h. Ainda tenho que chegar em casa, arrumar, fazer café/janta, arrumar mochilas e tudo mais. Cansa, cansa e a gente se culpa...
Força na peruca!!!!
Beijos

Anna disse...

Carol, entendo porque passo pelo mesmo.

Saio de casa cedíssimo, com as crias ainda dormindo. E não tenho nenhuma flexibilidade de horário. Não tem aquela possibilidade de dar uma escapadinha na hora do almoço ou algo do gênero.

O que tem funcionado bem aqui em casa é que contratei uma empregada (ou uma babá?) que fica com as crianças em casa até as 10hs da manhã, quando eles vão pra escola/creche.

Acho saudável pra eles, que estão no ambiente deles, com os brinquedos deles, relaxa a rotina e o stress da manhã.

E diminuiu a culpa (só um pouquinho, né? pq essa não larga a gente nunca) de deixá-los o dia todinho na escola.

essa foi a minha experiência.

beijocas pra vocês.

Dione disse...

Carol, culpa é o nosso segundo nome, não tem jeito. Ontem escrevi sobre ela no blog, e a razão da minha é muito boba, mas foi a primeira vez que ela está me consumindo.
Tenho certeza que logo logo vocês vão conseguir se acertar na nova rotina. E quem sabe as aulas de natação não vão ser por um curto período, até vocês se sentirem novamente seguros e tiverem certeza que a piscina não oferece mais risco.
Beijos!

Re disse...

Ai Carol, eu entendooooo...pq me sinto assim em deixar a Manu o dia todo no berçario e eu so ter com ela 1 horinha a noite, ate ela capotar as 19h30 e so acordar as 7h do dia seguinte. Me culpo, acho que devia sim estar mais presente, nem que fosse meio periodo apenas...mas, a vida hj nos exige isso e desde que os filhos estejam bem, temos que ficar bem tb. Bjs

Priscila, mãe do Imperador disse...

Ai Carol, nem me fale! Vou começar a trabalhar em breve e o pequeno irá para escolinha no ano que vem, fico tentando olhar o lado positivo das coisas, mas já estou me culpando sim, só não vivi isso na pele ainda, meda!!!

Patricia disse...

Ah como entendo...
Estou adianto a volta à natação justamente porque acho que vai comprometer ainda mais nosso tempo juntas...se achar a solução me conta?
beijocas!

Micheli disse...

Sim, entendo Carol!
Se não curtimos essa fase, ela passa e não volta.
Não teria como reduzir um pouquinho a carga horária de atividades dele?
beijos.

Sarah disse...

Entendo Carol, entendo sim. Tanto entendo que não aguentei, saí do trabalho e tirei Bento do integral. Radical? Pode ser. Dá pra todo mundo? Infelizmente não. Nem sei como será aqui em casa, ainda estamos em adaptação enquanto aproveitamos os últimos dias na casa da vovó. Por isso inclusive te perguntei da escolinha do Isaac, porque estou estudando as possibilidades. Bento vai pra escola, tem que ser assim pra eu conseguir trabalhar (já que só o salário do maridex não segura as contas). Vai meio-período, mas estou na dúvida mega se de manhã ou à tarde, já que ele ainda tira sonecona depois do almoço. Coisa a se analisar, conversar na escola e tals.
Entendo vc sentir esse dia a mais dele no integral, por vc sair tão cedo. Mesmo aproveitando todo o tempo que têm juntos, fica a sensação de quero mais. Que aliás sempre fica né não?
Analisa aí as possibilidades de vcs, conversa com maridex, veja o que é possível. Boa sorte... e depois conta pra gente!
bjao!

Celi disse...

Carol sempre achamos que não ficamos o tempo suficiente com os filhos, ou melhor, quando ficamos achamos que não fazemos tudo que poderíamos, do melhor jeito. De um jeito ou de outro sempre a culpa ficará rodeando as mães. Mas temos que ser conscientes e pensarmos no melhor. O que avalia em relação ao Isaac? Ele aproveita e gosta de todos esses momentos longe de você? Já contou do período integral, mas acho que vale avaliar as outras possibilidades. Como seria para você em relação aos seus horários. É difícil mesmo! Espero que possa encontrar uma boa solução. Boa sorte! Beijos

Camila disse...

Querida, passei por isso esse ano, as atividades dos meus filhos acabaram aumentando, os "compromissos sociais" tbem tô num leva e trás danado, mãetorista total na função! Confesso que eu estranhei no começo, mas me acostumei e tenho visto inúmeras vantagens de aprendizado e socialização. Mas levou um tempinho... Enxergar essas mudanças com esses olhos me ajudou muito!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.com.br

Ana disse...

Eita!
Vai lá fora agora, solta um grito, respira fundo.
Curte o banho, senta muda para ver um pouco de tv com ele, rs, e a hora de dormir. É pouco? Talvez seja, mas é tudo que você pode dar agora.
Fim de ano tá chegando, isso mexe com todos, cansaço, a nossa mania de fazer balanços da nossa vida e começam as cobranças.
Não rola planejar uma viagem curta em um feriado, ou conseguir uns dias de folga?
A familia tá precisando passar uns dias se curtindo, relaxando, para recarregar as baterias.
Deixo aqui um forte abraço e o ombro.
Beijos!

Fernanda disse...

Eu! Te entendo perfeitamente.
E quanto mais blogs eu leio de mulheres que largaramtudoparacuidardacria
mais me sinto mãe de merda. Se ele ainda não anda meaculpa porque eu não de estímulo suficiente, se ele ainda não fala meaculpa porque sempre fui meio caladona e muitas vezes brinco com ele em silêncio. Se ele não dorme bem meaculpa porque eu tantas vezes tive preguiça de fazer um plano mais "disciplinante"
meaculpa meaculpa...

Aracéli e Paulo Carneiro disse...

Nossa... Entendo DEMAIS!
O nascimento do Emanuel me trouxe um sentimento de culpa maior ainda... Se fico com ele, sinto pela Helena... E se tô com ela (o que é mais frequente) sinto por ele... Oh vida!!!
E choro! E sofro! E tb me acho neurótica...
Mas acho que deve ser normal, pq tenho conversado com umas mães da escola da Helena que se queixam da mesma coisa...
Ouço sempre algo da minha mãe que tento carregar no dia a dia e nas horas de desepero... Ela diz assim: _ Saiba usar bem seu tempo com cada um de seus filhos, observando a necessidade de cada um... E tentando não se prender a regras e neuras... Curta cada segundinho junto deles, pq no minuto seguinte vc já sentirá saudade!
Beijocas e até!
P.S: Sonhei com vcs dia desses... Sonho bacana!
Acho que deve ser vontade de conhecê-los pessoalmente! hehehe

Iolanda Lopes - Verdades e Carinho de Mãe disse...

Se entendo, comecei com o artesanato comercialmente para não voltar a trabalhar fora, e poder acompanha a pequena de pertinho, mas ainda assim me sinto culpada por vezes. Não brinco mais com ela como fazia antes, ela sente falta e eu culpa... rs
Ontem quase publiquei um post falando sobre isso.
O bichinho de estimação materno.
Tem promoção lá no blog.
bju

Vanessa Dias disse...

Nossa, te entendo d +. Sempre passei muito tempo com o Pedro, mas desde que passei a me dedicar mais ao trabalho e a me poupar um pouco por conta da barrigona de 8 meses que estou agora, tenho sentido o mesmo que você. Parece que não tenho tanto tempo ao lado do meu filho, que estou perdendo a melhor fase e que no futuro vou me arrepender muito disso. Mas o que fazer? N encontro soluçào, e olha que ele nem está na escola, só ano que vem. Pareec que minha màe curte mais ele do que eu, da uma invejinha, poxa.
Mas ainda n encontrei uma soluçào pra essa culpa, espero que vc encontre.

Bjssssssssss

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails