quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Pai e mãe

Outro dia maridex veio me dizer o quanto fica irritado de manhã quando Isaac acorda e pede por mim, não por ele.
Vi a frustração estampada no rosto do maridex e quanto aquilo mexe com ele.
Percebo sim o quanto dói não ter todo o carinho e amor reconhecidos e entendo a insatisafação completamente.
Fico sem saber o que fazer.
Já tentei explicar que não existe essa preferência, que ele não deve levar ao pé da letra, já que Isaac está nessa fase louca (e qual não é, né?) e horas só quer a mãe noutras só o pai.
Fácil pra alguns...
O que andei pensando é que quando acontece comigo não me dói tanto.
Vira e mexe quando preciso despertar meu lado tirano (nem tanto, vai...) pra pegar firme na educação do pequeno, diante das birras e choradeiras, escuto "quero o papai" ou "eu não gosto de você, gosto do papai", mas entendo.
Até hoje, na vida adulta, quando algo não me cai bem desejo fortemente o colo da minha mãe. Em outras ocasiões são os ouvidos do meu pai que busco.
Mas criança ainda não tem esse controle. Nem com os sentimentos. Nem com as palavras.
E recorre ao que lhe parece mais confortável, mais seguro.
Aí vem ao caso lembrar que essa diferença entre pai e mãe é enorme.
Somos seres de gêneros diferentes, criação diferente, crenças e ideais desiguais.
Enquanto um tenta não ficar louco com todos os desafios e novidades que englobam criar um filho, o outro pode muito bem levar algumas questões numa boa. E isso não é crime.
Não é um caminho leve, nem de terreno plano. Mas é caminhado em conjunto.
É assim que deve ser, não?

15 comentários:

Paula Dreger disse...

Ai Carol que difícil né?
Aqui também acontece da mesma forma.
Bel fica comigo durante o dia (salvo quando está na escola) e a noite o pai chega praticamente 1 hora antes dela dormir.
E ela chama por mim a toda hora. Muitas e muitas vezes não quer o pai...eu insisto e falo que quem vai fazer/resolver é ele.
Ela na maioria das vezes aceita.
Mas sei que ele fica triste, assim como o seu marido. Tento contornar e contornar.
Mas, acho que isso é uma fase.
Tomara né?
beijo beijo

Kelly Resende disse...

Oi Carol, minha filha tem 1 ano e 5 meses e na maioria do tempo só quer saber de mim. De uns tempos pra cá até quando saímos ela não aceita nem que o pai a carregue no colo, só quer o meu colo. É uma situação bem complicada, eu explico, falo pra ela ficar um pouco com o papai, mas ela chora e não aceita. Pior é quando ela acorda e quando o pai aparece ela começa a chorar. Claro que ele fica chateado, mas no meu caso eu tb acho que eu é que dou muito mais atenção pra ela, mesmo que nós dois trabalhamos o dia todo... Mas isso é outra historia que daria um post (da discordia, claro. hahahah)
Beijos

Ana do Chá e Viagens disse...

Oi Carol
Acho bem comum as crianças viram e mexem acabando recorrendo á nós,
mas agora nessa fase que estou passando já deleguei tarefinhas tipo levar ele pra dormir no quartinho e até levar e buscar na escola pro "maridex" já que o barrigão começou a pesar e acho bem interessante o pimpas exigir um pouquinho mais do papis do que da mamis que logo logo terá mais um para cuidar, claro, tudo daquele jeitinho né? o jeitinho mae de ser e de resolver as coisas.
Mas com uma mãe igual a vc, até "muito criado" o Isaac vai ficar querendo seu colinho - vc é ótima amiga!

Ontem postei sobre pintar o cabelo na gestação,passa lá e deixe sua opinião, depois quero ver os resultados da mulherada aqui da Blogosfera.

Bjão, boa quarta
Ana

Paula disse...

Aqui em casa também sofro com o sofrimento do pai do Samuel. MAs lendoo seu post e os comentarios fico aliviada de saber que nao é so aqui que isso acontece. Ele muitas vezes é até bastante ruim com o pai e isso nos deixa muitotriste. Acredito que sao fases e q mais ainda por ser menino logo eles descobrirao as vantagens do papai e vai chegar a minha hora de ficar me sentindo de fora! Esperemos que assim seja! Beijoks

Tuka Siqueira disse...

Aqui isso acontece muito também. Marido se incomodava mais quando era com a mais velha, até dormindo ela virava pro lado dele, dava uma cheirada e se virava de volta pro meu lado, ele ficava P...mas agora, com as 3 pequenas a coisa se divide tanto que el já não liga mais. Umas horas, as 3 querem a mamãe, noutras as 3 querem o papai, e em outras elas se dividem, um pouco pra cada lado. Como elas são 3, não tem muita exclusividade na atenção que recebem, por isso mesmo elas acabam não tendo problemas em se dividir entre o papai e a mamãe, e quando a coisa aperta e falta colo, elas correm pro colo da mana mais velha!

Bjs

Celi disse...

Carol assim como escreveu "Mas criança ainda não tem esse controle. Nem com os sentimentos. Nem com as palavras".
É exatamente assim que penso nessas horas. A criança passa a ter afinidade para realizar algumas coisas com o pai e com a mãe. Natural!
Também vejo a carinha que meu marido faz quando isso acontece. Não é fácil para eles, mas também é difícil para nós que fazemos de tudo e na maioria das vezes passamos a maior parte do tempo com eles.
Mas temos que pensar que isso vai acontecer. Que nem por isso gosta menos de um ou de outro. Não é mesmo? Vamos fazer para acreditar, vamos fazer para merecer o imenso carinho que só eles sabem dar...
Beijos.

Mamãe pela 2ª vez disse...

Oi Carol, aqui tbm é parecido, mas quando a mãe é brava o papai que é o bonzinho.
Esses dias eu perdi o voo e fiquei dois dias longe deles quando cheguei nem ligaram pra mim abri a boca a chorar rs.
bjus

Camila disse...

Aqui em casa tbem é mais ou menos assim... Mas o que me dói mesmo é ver como os meus filhos se transformam em verdadeiros ANJOS qdo estão com o pai, grrrrrrr!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.com.br

Cris disse...

Oi Carol, aqui em casa é a mesma coisa... fico até preocupada às vezes, pois quanto mais minha filha prefere a mim que ao pai, mais ele se ressente e acaba nem tentando. Mas como ela só tem 1 ano e meio, sei que as fases vão se alternar, ainda mais sendo menina. O jeito é ter paciência, né?
Bjs

Re disse...

Muito legal o post...ja me diseram q crianca tem as fases de querer mais a mae ou o pai...o importante eh estar disponivel qdo eles precisarem independente quem seja.

Pequenos Mimos disse...

Aqui em casa houve uma época que o Miguel recusava qualquer pessoa que não fosse eu, inclusive o pai. Meu marido ficava arrasado quando ele tentava pegar o Miguel e ele soltava um grito com choro me chamando, hoje meu chicletinho está melhor e as vezes prefere o pai sim.
bjs

Ju do Pinguinho da Mamãe disse...

Oi, Carol.
Aqui temos períodos de adoração bem diversificados. Tem horas que é "só a mamãe" e outras "só o papai", como no final sobra para todo mundo, ninguém fica chateado...kkkk
Bjs
Ju

Vanessa Dias disse...

É Carol, não é facil por aqui também não. Pedro é muito agarrado comigo e prefere mais ficar comigo do que com o pai. Mas hoje percebo que isso tem mudado um pouco, apesar de ter momentos de " só mamãe". Ha momentos de papai também. Ele gosta de sair com o pai e ler livros com ele. Ainda não faz jogos de preferencia, mas sei q essa fase vai chegar.
Bjs

Sarah disse...

É isso aí Carolita, é um trabalho em conjunto. Mas olha, se o marido continuar chateado em determinados momentos, tente acalmá-lo dizendo que por volta dos 5, 6 anos, essa "preferência" se volta para o pai. É quando os meninos descobrem que o pai pode ser mais que um ídolo, mas um companheiro. Quer acompanhá-lo em "coisas de menino", se interessando cada vez mais pelo universo masculino. Uma amiga tem um filho de 6 anos e me disse exatamente isso: até os 3 mais ou menos o pequeno era grudado nela, depois foi migrando para o pai e hoje é ela quem fica para escanteio... Pobres de nós né, hahhaha!!
bjos!

Micheli disse...

Ai, Carol, aqui isso é um problema, sim. A Clara 99% prefere a mim para tudo. O pai quase sempre ela chama para brincar, mas se eu estiver ocupada com outros afazeres. E ele sente, sim. E muito. Principalmente quando ela o rejeita até para dar beijo de boa noite. Dói, dói, sim. Mas ela não tem essa noção. Tento trabalhar isso ao máximo com ela, mas está sendo um longo caminho.
Beijos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails