quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Grávida eu?

Post de ontem me rendeu uma série de interrogações.
Gente querendo saber sobre pintar/alisar/modificar quimicamente a cabeleira, maaaasssss... mais gente ainda querendo saber se eu tô grávida.
Engraçado.
Esse babyboom bloguístico que acontece deixa todo mundo nesse #babyfeelings de plantão, né Carola?
Eu também vivo imaginando uma ou outra de vocês de barriguinha nova, mas não.
Ainda não.
Não há pequeno ser habitando esta barriga.
Doutor Querido, como de costume, é visitado a cada 6 meses, estando eu grávida ou não.

aaaaaaaaaaaaa.....
Já até ouço vocês se lamentando, mas é fato.
Desculpem por desapontá-las.

Mas aproveitando o assunto, queria mesmo é fazer um pedido prazamiga...
Especialmente aquelas que estão no segundinho ou no terceirinho ou no quartinho...
Contem pra mim.
Como é que anda a relação entre irmãos, pais, dinâmica de rotina?
Sabe o que é? Acabei de encontrar conhecida que tem filha de 3 anos e teve baby agora.
E pra ela, a coisa não está sendo nada fácil, já que a mais velha está usando todo o tipo de birra pra chamar atenção, acorda o irmão a noite, grita e tals.
E aí?
Vamos falar sobre?????

22 comentários:

Quel disse...

Oi, Carol! Vc quer saber eu falo (rs) estou no segundo. Meu Bruno tinha 1a e 7 m quando a Carol nasceu, eu tentei não diminuir a atenção dada a ele. Chamo ele pra ajudar trocar a fralda (dou a fralda pra ele segurar), depois de 3 meses qdo ela ficou mais durinha passei a colocar ela na banheira junto com ele e pedindo pra ele ajudar dar banho nela, deixo ele segurar ela, peço para ele beijar...e isso tem feito com que as coisas sejam mais fáceis. Já deixei ela chorando varias vezes pra dar atenção a ele. E as vezes sinto que não dou toda atenção que gostaria pra ela, mas isso faz com que ele seja super protetor em relação a ela e temos poucos momentos de chiliques. É difícil dizer pois cada criança reage de um jeito. Boa sorte pra sua amiga.

Renata disse...

Eu tenho uma filha de quase 2 anos e um bebê que vai fazer 2 meses.

Tivemos alguns problemas aqui, pelo conjunto de fatores: nos mudamos de casa, 10 dias depois o bebê nasceu, bem no dia que começaram as férias escolares da Bia. Ou seja, 3 mudanças enormes na rotina dela. Claro que ela tinha que reagir de alguma forma.

E essa forma foi ficar quase 20 dias com diarréia e sem comer quase nada. Quase morri com isso. No começo me estressei muito mas isso só estava piorando as coisas. Cheguei a ir numa psicóloga com meu marido pra buscar ajuda, mas nessa época as coisas já tinham melhorado (quando as aulas voltaram, o apetite voltou e a diarréia tinha ido embora).

Claro que rola um ciúme. Tem dias que Bia chora quando pego o Nando no colo, pede colo também, começa a aprontar, fazer barulho, jogar coisas no chão. Mas na maioria das vezes consigo dar atenção pra ela, ela se satisfaz e fica boazinha. No geral ela gosta do Nando, sempre pergunta onde ele está (sempre saio com os dois no carro, outro dia saí só com ela e ela ficou chateada porque o Nando não estava ali). Ela me ajuda nas trocas de fraldas, faz carinho nele, gosta quando vamos brincar na cama e deito ele com a gente. Claro que tenho a sorte do Nando ser um bebê calmíssimo, então posso passar longos períodos com a Bia sem que ele abra o berreiro.

Dicas da psicóloga que podem ajudar sua amiga:
- alguém pra ajudar com os serviços de casa. Vale pro primeiro filho e muito mais pro segundo
- alguém que fique com o bebê por alguns períodos do dia, se possível em outro cômodo, pra mãe poder se dedicar ao filho mais velho sem se preocupar se o bebê está bem, se quer mamar, se quer colo. A criancá tem que perceber que apesar do irmão, ela ainda tem um espaço só dela em casa e com a mãe, acho que isso é o item mais importante.
- elogiar muito as coisas que a mais velha faz, e dizer que o bebê ainda nao sabe fazer isso. Comigo isso não funcionou, mencionar o bebê deixava minha filha irritada, mas segundo a psicóloga é porque as mudanças todas ainda eram muito recentes pra ela.
- quando receber visitas, se as pessoas forem direto no bebe, chame a atenção (de maneira natural) pra mais velha, elogiando, dizendo como está bonita e que ela sabe fazer muitas coisas legais. Aqui em casa a Bia ficava extremamente chateada quando vinha alguém e ficava paparicando o Nando, porque até então o centro das atenções sempre foi ela.

Bom, desculpe o post longo, mas espero que isso ajude :)

Ana do Chá e Viagens disse...

Carol
como sabe, estamos no último trimestre e nesses 2 que já se passaram o pimpas passou por várias "fases da lua".
Te digo: desde já, não está sendo nada nada fácil
mas eu aguento!!!! hehehe
Volto daqui mais pra contar assim que a Valentina nascer.

Bjinhos

Mamma Mini disse...

Querida, tudo tem sua hora, na hora certa vai rolar aí e em todos os lugares...rs, filho é estrelinha que ascende, na hora que deus manda... e eu vou poder te contar daqui um mês e pouco, dois meses, porque em um mês nasce o rebento, e aí vou ver como será a dinâmica com irmão e tal... tenho uma amiga que a filha tem 3 e teve um menino ha 4 meses e tá super tranquila, falou que é bem mais fácil e que a filhota ajuda super, acho que vai muito da personalidade da cria, e da forma que vc conduz a situ... mas te confirmo depoissssssssssssss! E estou ansiosa para ver segundinho aí no seu terreno, afinal vc é mega mãezona, acho que tira de letra!
beijo

Mari Hart disse...

auhhuauahuaa... eu faço parte desse povo né Carol?! kkkkkk....

Aqui foi como tudo na vida: natural. Aos poucos apesar de Stella ganhar gêmeos, o "ciúme" veio 3 anos depois, acho que qdo caiu a ficha dela (demorou né!?rs). Acho que é deixar fluir e confiar em si, pq o resto a vida trata de se arranjar!

Bjs!!!

Renata disse...

Vamos falar, entonces. Quando a Nana nasceu, o André tinha 1 ano e 9 meses, era titico ainda...e não demonstrou nada de ciúme, sempre foi um fofo com a irmã, fazia carinho, pegava no colo, uma graça. Só que ele não entendia quando eu precisava fazer alguma coisa só com ela e ficava querendo atenção. Eu amamentei MUITO a Nana, com ele no colo, no outro braço. Nesse ponto, acho que a diferença um pouco maior ajuda, porque eles entendem melhor. Outra coisa complicada era que o André acordava de madrugada quando ouvia o choro dela, então ficava com os dois no colo até voltarem a dormir, porque nunca servia o pai!
Ele só demonstrou ciúme quando ela começou a andar...aí o bicho pegou e ele começou a fazer xixi pela casa, birras pra chamar a atenção, mas passou, ou melhor, melhorou. O André é mega tímido e a Nana é super expansiva e ela faz muita graça pra todo mundo e chama atenção, e ele sente, é claro, mas as demonstrações de ciúme nós não sentimos mais, só temos que tomar cuidado justamente por ele estar sentindo e não manifestando.
Agora, ver os dois brincando juntos, o carinho de um com o outro é a coisa mais deliciosa do planeta e vale qualquer preço. Fiquei sabendo que na escola, quando se encontram, ele sempre vai até ela fazer um carinho e saber se ela está bem...e eu fico toda derretida. :-))
beijinhos, Re

Karin Petermann disse...

Oi Carol...
Adorei o tema da sua discussão... vou acompanhar aqui, ainda não está nos planos um irmãozinho, mas não custa ir aprendendo as situações!!!

Beijos

Karin
www.mamaeecia.com.br

Coisas de mãe disse...

ahhhhhhh Golpe baixo!

Minha mãe sempre disse (mesmo antes de eu ter filhos): Não é normal quando a crianças NÃO tem ciúmes, dai é porque alguma coisa tá errada. Pensa bem, você tá la, numa boa, sendo amado e cuidado, com a casa só pra você. A comida só pra você. O pai e mãe só pra você. Dai vem um outro ser, mini ser, fofo e chorão e invade teu mundo!!!!

Enfim, quando é menorzinhos e não tem percepção, qualquer reação não é racional. Com 3, 4, acho que é mais choradeira, pra chamar a atenção.

Com 5 (cmo no meu caso) é mais fácil conversar, exeplicar... não deia de sentir, mas consegue expressar. Ajuda a cuidar.

Não tem mais fácil ou difícil. É apenas diferente.

beijos

Pati

Tati Amorim disse...

Oi Carol tudo bem? Bom, ontem eu nem vi oque aconteceu no face, só fiquei sabendo agora que li seu post sobre a duvida das meninas, se vc estava grávida ou não?!rsss, Mas vamos lá, eu tenho dois menino, um de 10 anos e outro de 4 anos, eles se dão super bem, qndo o pequeno nasceu teve ciumes sim do mais velho, mas nada de fosse grave, ele ficou apenas mais reservado, chorava por tudo, muito sentimenal, mas hj eles se dão super bem, brigam as vezes como todo irmão, mas nada que a mamis aqui não resolva..hehehe

beijo grande

Mi Satake disse...

Oi Carol!

Muitlo legal seu post sobre tinturas na gestação. A gente sempre conversa com o medico, mas tem sempre um medinho, uma dúvida aqui e ali.

Beijão e um ótimo dia por aí!

Flor de Menina disse...

Oi amiga
amei seu blog
já sou seguidora
bjo
me visite

http://flordemeninaacessoriosbaby.blogspot.com/

Desconstruindo a Mãe disse...

Oi! Faz tempo que não comento aqui, né... vamos ver se não escrevo um livro!

Lalá adorou toda a gestação, pois fazia muito tempo que queria ter irmãos. Mas quando o Caio chegou ela tinha 5 anos e, ao mesmo tempo que amou, sofreu e ainda sofre de ciúmes terríveis.

Teve cocô na calcinha e calcinha escondida em lugares que quando encontrávamos pareciam fósseis... kkkk!

Tem dias de competição, de amor, de birra...

Tem dias de não quero nem olhar pra cara de ninguém...

Mas o principal é demonstrar por atitudes que o amor continua imenso. Deixar o mais velho participar dos cuidados, mas também reservar momentos de dedicação exclusiva para esse filhote ou essa filhota que já teve todo o mor e atenção exclusivos.

Sempre que a coisa está indo pra esse lado de não ter tempo só com ela, a Larissa fica meio espetaculosa, sabe? E a tendência é de cobrarmos por ela ser mais velha, que se comporte como uma mini-adulta, o que é um erro. A criança de 7 anos é bem desenvolta, mas continua pequena, adorando colo e querendo muito amor. - Quem não quer?

Acho que quando pensamos que um dia fomos crianças nos acertarmos com elas fica tudo bem mais fácil. Até mesmo colocar limites quando a birra está exagerada, para podermos olhar nos olhos com sinceridade e conversarmos francamente com a criança.

Beijo!
Ingrid

Tathyana disse...

Vamos falar sobre então. Amiga não é fácil, como tudo na vida e requer tempo, disposição e paciência. Mas o resultado é maravilhoso. Uma interação entre irmãos que me faz chorar baixinho muitas vezes, de emoção, de alegria, de cansaço. Sim, cansa. Mas é muito, muito bom. Vale à pena. Bjssssssssssss

Ju Dalzoto disse...

Aaaaah, achei que vc estava grávida!!! E só pelo título do post, pois nem tinha lido o outro...

Mas quando for pra ser, será neh?!
Por aqui ainda não posso dizer sobre as birras entre irmãos, só que o comportamento do mais velho muda, é claro. Desde quando o bebê ainda está na barriga.

Lucas é só love com o Miguel, conversa com a barriga, abraça, beija, inclui o mano em tudo, mas (sempre tem um mas neh?!) com a gente ele anda meio revoltado, teimoso, agressivo e impaciente. Parece que está numa TPM constante, altos e baixos...

Estou usando todos os meus recursos disponíveis para abrandar a situação e tentar conduzir tudo da melhor maneira para que ele fique bem quando o Miguel chegar.

Será que vou conseguir?
Beijos, Carol!
Saudades de passar por aqui :)

Beijoquinhas no Isaac ;)

Mãe de Duas disse...

Aqui sempre foi tudo na paz. Stella começou a ter uns ciuminhos agora, aos 5-6 anos. De vez em quando diz "queria ser filha única", mas todos sabemos que é uma provocação. Enquanto isso, Lia sem Stella não sabe nem como começar uma brincadeira. A irmã mais velha é o norte da caçula. Devo me preocupar?

Bjos
Pri

Celi disse...

Carol, não é tão simples assim... Tem sim as crises de ciúmes. Difícil a criança que não vai ter. Sabe que o Felipe acompanhou cada passo que dávamos para a chegada do Thomas. Levamos junto para fazer ultrasom, para fazer compras das coisas do quarto. Enfim, sempre procurávamos dar a atenção merecida pra ele. Mas quando Thomas nasceu tivemos alguns momentos difíceis. Na hora de amamentar, por exemplo, Felipe fazia questão de ficar ao lado. Tive uns momentos bem difíceis. Ele queria atenção nesse exato momento. Pedia para fazer mil coisas, resolvia ir ao banheiro e me chamava para ajudá-lo. Quando o pai estava em casa, ainda conseguíamos contornar um pouco a situação. Eles sempre terão ciúmes, né? Mas essa fase mais caótica passou. Ainda bem! Tudo uma questão de adaptação. O que procurava fazer é garantir alguns momentos só com ele, outros só com o Thomas (ainda fazemos isso...rs). Precisa começar a entender que não perderá o posto, que continuará ocupando um espaço no coração dos pais e também em casa.
Espero ter contribuído um pouquinho com a minha experiência.
Um beijo.
Ahhhh, por um instante juro que pensei que estava grávida...rs rs rs
Um beijo.

Camila disse...

Pois e´, tbem achei q vc estava grávida, li e reli o post algumas vezes e daí entendi q não. Aaaaaaaahhhhhh! Mas, tô na torcida, né?! Aqui em casa, a relação entre os irmãos começou com um caos básico de ciúmes. Caos mesmo, CAOS! Mas hj em dia é uma delícia! Obviamente, eles brigam, disputam atenção e brinquedos, mas brincam juntos, se amam, se defendem, se protegem que é uma gracinha e um amor de se ver!
Recomendo mto!
Bjos,
Camila
www.mamaetacupada.com.br

Angi disse...

Carol!
não posso te ajudar, mas quero ter mais um sim.Acho que deve ser muito bom, 2 filhos correndo por tudo!rs
Mas acho que as mães te ajudaram sim, então, espero que tenha te ajudado, e que logo dê um irmãozinho ao Isaac fofo!
Beijão
Angi

Mãe Mochileira, Filho Malinha.. disse...

Oiiii..obrigada pelo carinho Carol!!
Menina,eu tomei um susto..eu tanto tempo longe dos blogs aqui entro aqui,ja pensei:todas estao gravidas meeeesmo!
kkkkkkkkk..mas vi depois que vc ainda nao..rss...foi um baby boom mesmo,einh!!!:-)
Por aqui tb to so no primeirão mesmo..hahaha..
Beijos enormes em vcs todos!!
:-)

Um espaço pra chamar de meu disse...

brigas?ciúmes? a gente vê por aqui...kkkkkkk
Tem hora que quero sumir de casa,sem rumo ir embora com o circo (se for o de Soleil melhor,pois sou #diva)...
eles brigam por tudo e por nada, Daniel tem 9 e Suzana tem 11, fiz tudo certinho qdo cheguei com ele da maternidade, trouxe presente, deixa que ela ajudasse nos cuidados,mas agora tem hora q querem se enforcar, eu tive irmãos e sei como é isso...
implicância?a cada minuto dia,basta estarem acordados,mas qdo um está longe querem que busquemos logo (acho q é por ñ ter ninguém para brigar)
Mas o legal é q qdo brigo com um,tem efeito duplo, o outro corre para resolver qq coisa q esteja pendente,rsrsrsrs e por vezes um defende o outro, e tenho conversando com outras mães e vejo q o quadro se repete e o pior permanece até a fase adulta (OMG),mas ñ quer dizer q ñ se amem, é a forma de demonstrarem(acho bom mudar pois estou enlouquecendo...)
Bjs mil!!!

gisele disse...

Meus filho tem 2 anos e 2 meses de diferença. Quanto menor a diferença de idade melhor DEPOIS a relação entre irmãos. O trabalho é super puxado tendo 2 bebês pra atender ao mesmo tempo, NOITES sem dormir, milhares de fraldas e mamadeiras (epere pra tirar do segundo essas coisas depois d irmão nascer, pq eles regridem com o nascimento do irmão). Mas agora eles brincam juntos, podem ir aos mesmo programs, tem interesse e amigos em comum. Um não lembra de existir sem o outro! Isso cria uma cumplicidade e amizade bem forte! Quanto mais demorar pra ter o segundo, masi birras, mais estress com o primeiro, pq ele vai ter a consciência de estar deixando de ser o centro dsa atenções! Lembra da música da palavra cantada q havia te falado! heheeh
Abarços, gi

Anne disse...

carol, não me apavore.
vamos falar sobre cookies.
qual o seu sabor favorito #denial
bjo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails