segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Entre a infância e a espada


E final de semana foi uma delícia.
Foi sim.
Gente amiga em casa, churrasco de dia inteiro, família e tals.
Mas as neuroses maternas são imunes a momentos fantásticos e mesmo neles consegue perturbar esta cabeça pensante.

Isaac é menino. Ok.
Meninos são um tico mais brutos. Fato.
E meninos adoram brincar de lutinhas e guerrinhas. Mais fato ainda.

Só que até então eu estava na posição de ficar horrorizada com a pancadaria infantil do filho dos outros. Já que com tanto tempo de tentativas e tratamento, ficamos pra trás de alguns amigos que já tem fihotes mais velhos.
E eis que no meio de tanto papo, carninha e distração vejo Isaac lá, com espada em punho, lutando com um menino dois anos mais velho.
Pequeno nunca havia brincado de coisas violentas e já estava lá, todo familiarizado, até imitando os barulhos e a trilha sonora que um combate requer.
Fiquei alí parada observando.
E nada de achar que aquilo é um sinal clássico de que meu filho vai se enveredar pelos lados da esgrima.
Estava mesmo é pensando em 1 milhão e meio de acidentes, traumas, possibilidades de transtornos e consequências para aquela brincadeira tão "inocente". E ainda toda a infinidade de coisas que uma mãe neurótica por excelência pode imaginar.
E lá estava meu filho, se divertindo, aprendendo uma coisa que, se dependesse de mim, não seria ensinada. Nunca, jamé.
Mas por outro lado, combatia eu comigo mesma, essas coisas iam fazer parte da vida dele mais cedo ou mais tarde. Ele vai sim começar a assistir desenhozinhos podres logo logo. E isso só não vai acontecer se Isaac for criado trancado em casa, sem televisão, computador ou aparelho celular, até os 37 anos de idade.
Convivamos então com essa parte do desenvolvimento masculino.

Opa! Peraí!
Flashback materno acontecendo neste exato momento.
Nada de ser só masculino, pois me lembro muito bem de ser a She-ra, a princesa Léa (sim, sou fã do George Lucas), a Tempestade e a Tila Guerreira. Lutando contra todo objeto (ou irmão pentelho) que fosse digno de merecer um soco ou uma espadada.
E oha que cresci um ser pacífico. Sem muita destreza porradística, mas com uma língua afiada que só vendo ouvindo.

E o filhote cresce....
E a mãe também....

Mamãe internetando
A quem interessar... fizeram até um estudo pra saber a quantas anda a influência dos super-heróis sobre o meninos hoje em dia.

25 comentários:

Ana do Chá e Viagens disse...

Oi Carol! Tem coisas que no começo a gente não pode nem pensar, depois, nem ver, mas no fim tudo é fato e a gente tem que aceitar e conviver.

Você é nota 10, mas confesso que por enquanto deixo o Pedro longe de arminhas, espadas e desenhos "podres" rsrs

Boa semana
Ana

Patricia disse...

Nesse ponto é melhor ser mãe de menina. Tirando as exceções que já foram She-Ra um dia, a média é de crianças mais quietinhas e tranquilas. Eu fui assim, tontolona de tudo e mariana parece seguir pelo mesmo caminho. Pelo menos é mais tranquilo..rsrs

beijos e boa semana!

NiNe disse...

Oi Carol!!!!!!

Menina desculpe o sumiço... ando bem atolada de trabalho.. mal mal consigo postar

obrigada pelos comentariozinhos no meu bloguinho!

não tenho menino mas qria ter um pq acho que a experiencia deve ser mega diferente!!! rsrs!

Qto as lutinhas eu tbem lutei muito com os meus irmãos!!! E tbem sempre fui "calminha" mas ligua de trapo tbem! hahaha


Bjokas gordas

Lu disse...

Carol
Depois que o Serginho nasceu eu comprei o livro "Criando Meninos" (não me recordo se é exatamente esse o título, whatever...) e me lembro bem que tinha um capítulo que falava sobre a importância das "lutinhas" no desenvolvimento da criança. Inclusive incentivava o pai a brincar com o próprio filho de lutinha. Já não lembro qual é a influencia sobre o desenvolvimento do pequeno, mas depois de ler percebi a necessidade que o Serginho tinha de brincar de lutas e como não havia irmãos ou primos para se exercitar, ele lutava com o pai. Hoje com 14 anos ainda pego os dois de vez em quando no maior racha. Acho que de todo mal não é, porque o Serginho é um menino bem educado.
Bjs
Lu

Camila disse...

Carolzitcha, tbem tenho essa neurose, sabia?? Acho q nunca vou dar de presente espadas e armas de brinquedo para os meninos. Fujo de desenhos violentos, desses de luta, sabe?? Mas acho q tem mta coisa "genética" para esse gosto dos meninos... O jeito é trilhar aquele árduo e longo caminho da educação referente ao que acreditamos ser melhor para os nossos meninos, né?!
Super bjo,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Mamma Mini disse...

Carol, isso faz parte do universo masculino mesmo e por mais que a gente "lute" contra não tem como evitar.. mais dia menos dia eles aprendem algo que é instintivo... para uns mais para outros menos (que os nossos sejam os menos né? rs) na família do meu marido tem uma coisa ridícula que eles chamam de brincadeira de LUTA então a pobre da criança nasce e já brinca de luta, essa coisa meio bizarra de futebol americano um se jogando em cima do outro, pois bem as crianças adoram acham a maior farra e os adultos que ensinam também (eu odeio) mas fazer o que? o DAvid já acha o máximo, olha e fala LUTA e pra gente separar que aquela luta é inofensiva com pessoas da família dele e que ele não pode montar um ringue e uma réplica destes momentos na escola? muita terapia amiga muita terapia...rs rs rs rs
bjs

Pinguinho da Mamãe disse...

Oi, Carol.
Bom, sou mãe de menina, mas não acho que por isto estou imune a estas brincadeiras e tal, como vc mesma disse...
Mas que as atrações entre boys e girls são diferentes são. Porém, vou te falar, quando menina dá para ser "arteira", elas são piores que os meninos... ah, são...kkkk
Bjs
Ju

Fala Mãe! disse...

Sabe Carol, as vezes tb me asusto com o fato deles gostarem de luta e tal (tenho 2 meninos, calcula rs...) mas vejo através do meu mais velho que ele sabe separar essa coisa de que brincar de ser herói, ninja, sei lá o que mais, da relação que tem com a gente e com o irmão,é claro que eles brigam, mas no geral se abraçam o tempo todo e se protegem rs.. Se bem que eu sempre aviso que se começar onda de violência eu corto os desenhos desse gênero rs...Mas é claro que como toda mãe tb me preocupo e escrevi um post uma vez http://falamaeblog.blogspot.com/2010/04/geracao-bakugan.html
beijo querida e boa semana

Dani Garbellini disse...

Ai, Carol! Nem gosto de pensar em como será quando chegar minha vez... Será que preciso me preparar? Fomos a casa de amigos que tem filho mais novo, mas que tem um monte de espadas, machados... E ARthur gostou do negócio... Como ainda são pequenos, não se meteram a lutar com espadas, por enquanto só brigando pelo mesmo brinquedo, mas sinto que em breve... Sei lá, tô preparada para isso ainda não...
O comentário mais cheio de reticências que você já teve, heim?
Beijos!

Chris Ferreira disse...

Oi Carol,
é menino adora essas brincadeira e acredito que elas devem ter algum sentido para eles e seu desenvolvimento.
Nós mães, as vezes vemos mais problemas e perigos do que realmente existem. Será que os ajos da guarda são mais tranquilos?

Lembro da She-ra. Eu adorava e olha que já era grandinha.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Fabi disse...

Eu tb não queria que meu filho brincasse de lutinha, mas eu sei que esse dia vai chegar... E ele vai adorar esses personagens horríveis dos desenhos de meninos... Medo!

beijos,
Fabi
http://depoisqueeudescobri.wordpress.com/

Andrea disse...

Leitora/seguidora nova! Não tenho filhos ainda, mas acho que não precisa se preocupar!!! O complicado é se essa vira a única brincadeira. Eu tb adorava She-ra e até Comandos em ação!!! Se me irmão ganhava a base dos GI-JOe eu queria pelomenos um tanque! mas, nada...tinha que me contentar com uma bonequinha guerreira. Está valendo! Eu e meu irmão somos tranquilissimos! A brincadeira com espada, policia e ladrão, são apenas experimentações.
Lerei seus outros posts! Boa semana!

Karol Pereira disse...

Olá!Retribuindo a visitinha*
Também adorei seu blog. Já sou seguidora e estarei por aqui sempre!
O Isaac é lindo!Parabéns!!!
Beijocas doces como mel*
Karol
http://maisquepalavras-ke.blogspot.com/

Confissões de uma mãe de primeira viagem disse...

hahahaha
sinto que não estou preparada para essas brincadeirinhas digamos "mais brutas" mas aposto que papai irá fazer um workshop com o Bryan sobre todos os tipos de lutinha possiveis..rsrs
Bjos

Paloma, a mãe disse...

Todos os amigos da minha filha amam brincar de lutinha. Ela morde e empurra, mas fica nisso. Os meninos têm a testosterona, né? Precisam extravasar.
Eu até tentava, mas nunca soube brigar. Como vc, sou boa de verbo, hehehe.
Beijos

Mariana Hart disse...

Carol,e eu que tenho 2 meninos,e uma meninA que é um moleque!?É 'brincadeira' de luta o dia inteiroooo!Sem contar o pai que qdo se junta acha que tem 3 anos tb...afffão!Pedro outro dia me pediu a espada do "Star wars",e meu marido como em um clássico episódio de Froends,disse que seu sonho era me ver vestida de princesa Léa!huahuauhahuahu....eu mereço!
Beijokas,amei muito o post!

(Mamãe) ~Pinel disse...

Acho que o mais importante nesse tipo de brincadeira mais bruta é que os envolvidos entendam que aquilo é só uma brincadeira e não um ringue de luta livre, e que não devem machucar o coleguinha de verdade!

Mas... mamães de meninas não escapam disso! Pelo menos a minha não escapou, e duvido que eu escape, já que minha filha vai crescer com os dois tios pequenos (um de 6 e outro de 3).

Beijo! Sem neuras hein! ^^

Renata disse...

O André adora uma espada e qualquer objeto comprido vira espada pra ele. Nós tb nunca ensinamos, mas o contato com os primos mais velhos serviu pra isso e outros ensinamentos...rs!
Temos que acostumar com as porradas masculinas, né? E eu tb amava brincar de She-ra e princesa Léa!!! rsrsrs!
beijos

Micheli disse...

Nessas horas eu não sei como lidaria se fosse mãe de menino. Sempre quis menina. E teria outra, se fosse possível escolher. Mas acho que tudo se aprende mais cedo ou mais tarde, não é mesmo?
Beijocas.

DOIS BABÕES E UM BEBÊ JÁ GRANDINHO disse...

Me identifiquei 100% com seu post "Entre a infância e a espada". Dia desses fiquei assustada quando Bruno pegou o lego e montou igual um revolve, em seguida ele ficou apontando e fazendo barulho de tiro "pou pou pou" . Quase morri de desespero.

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

OI carolll..dei risada aqui,rsrs..mãe de menino tem dessas coisas..aqui é um tal de pof,pow,poin o dia todo..é espada,soco( de mentira) e..beeem..aqui a coisa complica um pouquinho pq tanto eu e o pai lutamos jiu jitsu..então ja viu o rsultado da obra,né??kkkkkkkkkkkkkkkk..quando os tres cismam de lutar-brincar-treinar....smepre sai todo mundo com no minimo um galo na cabeça..mas rindo mtttt...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk..
e sabe,estabanada do jeito que sou não me imagino sendo mãe de menina...kkk..
bjokas,otima semana! ;-)

Vanessa Caubianco disse...

Amiga, acho que não tem jeito. Eles crescem e vão fazendo suas escolhas. E a gente que é mãe tem que aguentar....rssss.
Boa sorte pra nós.
beijos

Mi Satake disse...

É querida, como disse hj uma amiga sobre diferenças: q convivamos com esse ladinho dos nossos machos, né?
Eles lutam, se pegam, chutam e acham natural.Meninas sã o romantismo puro, já a molecada acha gostoso é lutar e pular rs.

Bjão pra ti e pro Isaac

Carol Garcia disse...

Pois é, meninas...
não que eu goste, mas já estou me interando sobre personagens lutadores e afins...
pra saber qualé que é de cada uma, fazer um filtro pra casa pelo menos.
Engraçado que até sábado, Isaac chamava a espada (que ganhou da titia e não desta mamãe aqui) de avião. Brincava como se fosse um avião mesmo.
e agora a espada tomou sua verdadeira personalidade....

bjo bjo bjo

Sarah disse...

Muito bom o post Carol. Não tem jeito, os meninos gostam mesmo de lutas, espadas e afins. É um jeito de descarregarem a energia e a agressividade natas, culpa da testosterona. Mas é o que vc falou, não é por isso que nossos meninos serão violentos. A base sólida que damos a eles e os valores ensinados contam muito para equilibrar essa equação.
bjocas!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails