quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Culpada da Silva

Culpa.
Culpa é meu nome do meio. E sobrenome também.
Se não fosse tão estranho seria também o primeiro nome. O apelido também.
Pra hoje tenho culpa.
Daquelas maternas.
Sem dó nem piedade.
Culpa intensa, extensa e complexa.
Culpa sem culpa, mas mesmo assim culpa.
Uma culpa forte, persistente e obscura.
Culpa aquela que sei que não tenho tanta, mas que me toma conta.
Culpa tem cor.
E hoje é vermelho. Carmim.
Aquele tom que chega a sufocar. Assim como faz a culpa.
Sufoca, aperta, contrai.
Engasga, entala.
Me deixa culpada por sentir culpa.
E me faz entender, e assim me sentir culpada também, que quem vive de culpa sobrevive.
Sobrevive para falar da culpa.
Publicar a culpa, analisar a culpa e entender o estar culpada.
Colocá-la pra fora como quem cospe um pedaço de gosto ruim.
Como quem respira fundo após uma onda maior do que deveria.
Como quem bate o dedinho no pé da cadeira.
Como quem ri de piada ruim só pra agradar.
Como quem olha, sem culpa, e afirma que amanhã há de passar.

...

Das loucuras que sinto a bordo desta montanha russa.
Um bjo pra vcs.


10 comentários:

Sofia disse...

Ohh se culpa de mãe matasse existiriam poucas na face da terra...

O que vale é que mãe pode tudo e aguenta tudo... e se sente muita culpa por vezes também sente muito orgulho outras tantas vezes :)

beijo

Martha disse...

Ai Carol.. tempo sem passar por aqui.. vim me atualizar... e me solidarizo muito com vc...
Hora agente se corroe com essas culpas maternas, hora agente abstrai e "entende" que faz parte da vida, do nosso dia-a-dia...
No fim, agente aguenta, ganha um abraço e vê eles dormindo um sono tranquilo... aí, passa!
Bj grande em vcs...
Vou ver as outras novidades!

Futura mãmã disse...

Nao percebi o poque da culpa nem o motivo da culpa . Apenas que voce sente culpa e culpada.
Nao se sinta culpada dessa culpa que sente. Pois o sentimento de culpa por vezs faz parte da vida.

Liza disse...

Nada como um dia após o outro, né mesmo? Jájá passa.

bjim

Nívea Salgado disse...

Ah, Carol, hoje somos duas. Ontem deixei minha filha chorando para dormir, depois de ter tentado de tudo um pouco. Eu odeio fazer isso, mas por vezes... Hoje parece que não dormi... Mas realmente nada como um dia após o outro, como já foi comentado. Fique bem.

Lorraine disse...

acho mesmo que a culpa serve pra alguma coisa, carol. serve pra olhar pra dentro, perceber o que há e administrar a coisa toda. vai na fé que tu consegue.

bjos e se desculpa!

Tatei e Nana disse...

Carol, não sei a razão da sua culpa... Mas que ela é companheira inseparável de todas as mães, ela é. Os motivos podem ser os mais diferentes, mas ela sempre está lá!
Bjs

Renata disse...

Entao eu fico aqui torcendo pra passar mesmo...mas se passar, ensina o segredo, tá?
Fique bem, querida.
beijo

Chris Ferreira disse...

OI Carol,
esse culpa é o sobrenome de todas nós mães. Acho que nos tornamos irmãs.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Muito Criança disse...

Ca depois do amor, acho que esse é o outro sentimento mais forte que sinto após ser mãe....é assim...
Amore vem aqui na casinha mínima participar do sorteio que tá rolando. Mega fácil,só por email e prontinho, já tá participando. Adoro quando quem ganha é das antigas....rs..rs....beijocas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails