segunda-feira, 13 de abril de 2015

Velcro

Aí, vc, mãe e cara colega, lê um título desse e pensa:
"a tal da conclusão do Edipo se acabou e a Carol vai para de reclamar".
Não.
Nem se iluda.
Isaac não está nada colado em mim.
Continua me ignorando como se eu fosse um videogame sem novas fases.
Mas tudo bem (e isso é papo pra um outro post).
O assunto de hoje é mais das graças dessa vida.

Eu sou do time das dramáticas, não nego.
Logo, achei que o nascimento dos dentes seria um processo tenso e traumatizante.
Não foi.
Aí achei que engatinhar seria um processo difícil.
Nem existiu.
Andar então, deixaria marcas eternas.
Nada.
Desfralde então, me faria endoidecer e padecer em todos os paraísos imagináveis.
Hã hã.
Aí comecei a relaxar, né?
Mudar e adaptar em escolas novas, foi lindo.
Ir brincar nos amigos, ok.
Ainda há algumas cositas que ele resiste.
Comer sozinho, tomar banho sozinho, limpar o próprio fiófis... Faz, mas reclama um tanto.
E eu, já achando que a vida era linda e descomplicada, me deparo com um pequeno perrengue.

O velcro.
Isaac está resistindo, com todas as forças que pode, a dar o laço no próprio cadarço do próprio tênis.
E está fulo da vida com o fato de que o pé cresceu e a industria calçadista aboliu os modelos com velcro para pisantes maiores que 30.
Longe de mim criticar os fabricantes.
Mas como (como Mellldellllls????) ensinar a um menininho teimoso de nascença a dar laço???
Não acho laço coisa simples e faço drama sim.
Já que é uma das marcas que me cabem.

E pra ajudar, pari criatura toda trabalhada na carinha de pau:

- Vamos filho, coloque o tênis.
Lógico que ele pega o modelo com velcro, já apertado.
- Use o outro Isaac, está vestindo melhor.
Ele analisa bem a situação e manda:
- Nãããão mãe.... Vai que desamarra e eu tenho que parar pra dar o laço, demoro e fico alí, perdido na multidão????
Ameaça um biquinho, e fica esperando a minha reação.
Viro as costas, me tranco no banheiro, dou risada e quase choro de orgulho.

Aceito dicas e sugestões.
bjo

Um comentário:

Francine B. disse...

Estou enfrentando exatamente o mesmo problema.Aii como é dificil viu! E para ajudar a professora me fez o favor de dizer que não vai mais amarrar, que els já estão grandinho e precisam aprender. Menino travou legal no processo de amarração. Tive vontade de ir bater na fulana, mas me contive, não sei se fiz certo ou errado. Mas, é certo que ele precisa aprender, e para aprender precisa praticar. Com esse raciocinio, já até obriguei a colocar o tênis com cadarço, mas dei uma dica: se não conseguir, enfia a ponta pra dentro assim ó!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails