sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ó Nossa Senhora das Mães Loucas e Aflitas! Ajudai-me.

E daí que o filho vai crescendo e a saia vai ficando mais justa.
É.
Ele fala mais, observa mais, entende mais e logo, as perolinhas são proporcionalmente mais cheias de consequências.
Pros pais, lógico.
Criancinha não sabe o que faz, né gente? Culpa dos loucos que não sabem educar um serzinho fofo desses.
É.
E então que Isaac chega na sala da dentista e já canta a secretária pra saber qual o prêmio da vez, caso ele se comporte direitinho.
Todo mundo acha lindo, extra de fofura e a mãe fica alí, com cara de fuinha.
Quando mira a doutora, toda bem humorada, se paramentando para a consulta ele já dá sorrisinhos e repete bravamente o nome querido que ela deu pra cada item do equipamento odontológico - que pra mim de fadinha, aviãozinho e chuveirinho não tem nada.
Mas ela consegue.
E ele também.
Sempre sai de lá com coisinha nova, gracinha nova, elogiozinho novo.
E ganha a secretária e todos na sala de espera:
"Semana que vem tem? Eeeeee (até com os braços pra cima)!!!"
Quem te conhece que te compre.
Tá.
Tá que os presentinhos, conforme andamento do tratamento, vão ficando mais ou menos legais. E ele se acha.
E tá, que saiu essa semana todo seguro da consulta e fomos a uma loja de brinquedos comprar presentinho pro amigo que faz aniversário hoje.
Erro fatal.
Ó que tô eu aqui agora batendo na testa, entoando o mantra "burra, burra, burra".
Certo de que sairia ganhando.
E ia mesmo, eu já havia prometido um mimo pra cada ida bacana a dentista. Já que Isaac vai passar por um longo tratamento (mas isso é assunto pra outro post).
Ele escolheu presentinho, mamãe disse ok.
Reitero aqui que passei sufoco extra por conta da segrança pós dentista elogienta.
Mas na hora de pagar é o negócio. Dá pra manter o olho no filho, nas prateleiras, na porta, no fluxo de veículos do estacionamento, na maquininha do cartão, na cara da moça que te atende?
Dá. A gente consegue sim.
Mas nem sempre.
E o belezinha do meu filho já foi todo cheio de charme pra cima da vendedora.
Que lhe deu um livro cheeeio de janelinhas.
Ele deitou no chão e começou a "ler", como se estivesse e casa, quando ouço:
- Mamãe, saiu.
É.
Saiu.
Rasgou.
Estragou.
Fiquei no prejuízo.
Avaliem como quiserem.
Mas e aí?
Aí que eu fiquei sem reação.
Peguei e paguei o livro.
Sei que deveria ter devolvido o brinquedo escolhido para compensar o dentista.
Mas não consegui.
Não mesmo.
Comprei um livro enooooorme sobre criaturas oceânicas
Coisa que todos sabem, Isaac adora.
Mas resolvi.
Não darei a ele.
Ele não merece.
E imagina se ele saca que estragando as coisas vai ganhá-las em seguida?
(Ó Nossa Senhora Protetora das Mães Loucas! Ajudai-nos!)
E se ele achar legal e sair rasgando tudo o que quiser?
Vai ficar sem o livro.
E ponto.
E vocês, hein? O que fariam?????

19 comentários:

Dri Viaro disse...

Tivemos o mesmo problema de ter que comprar algum pressentinho pro Alezinho, só que em lugares diferentes, no caso dele o moleque chorava pq não queria cortar cabelo, mas depois q comecou a ganhar presente nunca mais reclamou.rs Só que nós dávamos, agora isso já acabou e ele compreende, mas de estragar isso não aconteceu, na realidade ele é bem cuidadoso com as coisinhas dele. Mas eu acho q vc fez certo, deixa pra dar em uma outra oportunidade, ou ele pode pensar da maneira q vc falou;

beijos

Nathi disse...

Ó. Será que não foi sem querer?
Sem julgamentos, viu?! É que fiquei com dó do príncipe :)
Mas tenho a certeza que fez o melhor.
Educar é uma arte complexa demais, mas a gente consegue. Consegue sim!
Beijão!

Lu disse...

Carol
na duvida se ele fez sem querer ou foi "sem querer querendo", acho que vc fez bem. Até porque ele vai prestar mais atencao para nao estragar os brinquedos, mas que dá uma raiva dessas vendedoras, isso dá. Pra que ficar dando as coisas nas maos das criancas e obrigando os pais a comprarem.
bjs

Bianca disse...

Ai Carol, sabe o que eu faria?? explicaria que ele rasgou e que não foi legal, que vc teve que gastar um dinheirinho que ele poderia ter escolhido uma outra coisa e que DA PRÓXIMA vez que isso acontecer (tipo, dá uma chance) aí sim, vc vai pensar o que vai fazer, dar para alguma criança que queira, etc...
tadinho, foi a 1a. vez... não é tão grave assim, fora a "mea culpa" da vendedora, né??
beijo e bom finde

Lu Azevedo disse...

Puxa vida, Carol! Vida de mãe é assim, estamos sempre buscando meios de educar, impor limites, mostrar o certo e o errado. Nic, depois que começou o desfralde, só quer saber de ganhar presente. Passou uma semana me irritando porque queria presente pra fazer tudo, não somente cocô no penico. Daí cortei tudo de vez. Não tem mais presente pra nada que é de obrigação fazer (ta bom, pro cocô ele ainda ganha adesivo). Chorou um bocado, mas entendeu e agora não pede mais. Mas é complicado, viu?

Acho que vc agiu certo. Eu também guardaria o livro pra daqui uns meses! :)

Sobre seu post passado, que também tá conectado ao assunto, fiquei com o coração apertado por você, mas acho que esses "gelos" resolvem de vez em quando. Algumas vezes, fazemos nem só porque queremos ver resultado, mas porque nos sentimos frustradas, não é? Eu fico muito triste quando Nic fica agressivo, mal-educado, respondão. Não é facil educar, Carol, mas a gente tem essa missão, né? Criar nossos filhos pra uma sociedade mais compreensiva e humana.

Sobre meu post, SIIIIIIM, era o desenho do Isaac no computador!!! E pode vir, de mala, cuia e cria! Qto aos ursos, agora ta chegando o outono e daqui a pouco eles vão dormir. Mas tem historias horriveis de ursos por aqui!!! Ai, mamãe! :)

Beijos!!!!

Tchella disse...

acho q colocava a culpa na vendedora q deu livro sem te perguntar hahahaha

Ju do Pinguinho da Mamãe disse...

Bom...
Eu tb compraria, não deve ter rasgado por mal, tadinho.
Mas estas vendedoras de lojas de brinquedos tb não ajudam muito, mas eu tb compraria, fazer o quê???
Mas depois, depois que passar um tempinho, da para ele, vai...kkkkk
Bjs
Bom final de semana

Nine disse...

Guria, muito boa essa sua percepção! Nâo sei o que faria, mas provavelmente uma das duas: devolver o brinquedinho escolhido e levar o livro, mas não como presente, como prejuizo, ao mesno por um tempo, ou fazer como vc fez, levar os dois mas não dar o livro. Coisa que só na hora a gente vai saber!

Beijos,
Nine

Telma Maciel disse...

Ai, gente... q coisa! Mas acho q vc tá certa msm, principalmente por ser um tema q ele gosta bem, não ganha. Tem q saber q estragando não se ganha nada. Por mais que tenha sido sem querer, é bom aprender que tem q ter cuidado com algo que não é seu, né?
Beijo

Mariana disse...

guria, tu não vai acreditar...contei numa reunião de pais da escola do gabi, sobre limites, que eu dava uns gelos quando as coisas estavam saindo do controle....me chamaram de tudo de ruim! mas a conclusão da psi da escola que se funcionar ta valendo...e não mata!
ah, agora estamos dando adesivos lá em casa para quando o gabi dorme a noite toda na cama dele ou experimenta fruta/verdura que nunca comeu....20 adesivos, que ele cola pelo quarto todo (está ficando medonho!mas ele está realizado!) darão direito a um brinquedo que ele escolher na loja....(burra, burra, burra, pois ele anda pedindo um carro eletrico!). ai sim, vai ser socorro!

Roberta Lippi disse...

difícil, né, só estando lá pra saber. Faz o que seu coração de mãe manda e está tudo certo!
Mas eu vim aqui mesmo pra dizer que eu AMEI você no vídeo!! Linda, super articulada, adorei ouvir sua voz depois de tanto tempo te acompanhando!!
Super obrigada pela participação e pela força lá com o Mamatraca. Beijos beijos

Kayanne disse...

Oi to seguindo segue tbm???

Aracéli e Paulo Carneiro disse...

Bom, primeiro eu choraria por ter que comprar o livro, pq tô numa "pindaíba" daquelas!!! Um aperto só!!! hehehe
Depois, acho que faria o mesmo... Levo pra casa, mas não é seu, pq vc estragou!
Aqui em casa, quando Helena joga algum brinquedo no chão, por exemplo, peço pra ela pegar e se não pega, pego e digo que vou entregar a outra criança que não tem brinquedo... E já cumpri a pomessa uma vez, perto dela! E funcionou!!!
Beijocas e força aí!

Sheila disse...

Acho que vc está certíssima! Maria Luiza está começando a me deixar meio louca, por conta dos dois anos que estão se aproximando. Mas, eu já tento fazer com que ela entenda o que é certo e o que é errado. Aquele velho clichê que diz que "falar não tb é um ato de amor" é a mais pura verdade.
E Nossa Senhora das Mães Enlouquecidas tb anda sofrendo ouvindo meus pedidos...De mãe para mãe..rs

Beijo!

Ilana disse...

Hummm, que situação, hein?
Sei não. Pelo que eu entendi, foi a vendedora que ofereceu o livro enquanto vc estava no caixa? Com sua autorização? Ela ficou junto?
Eu acho que não daria o livro também. Provavelmente guardaria para dar em outra oportunidade, quando ele de fato merecesse.
Vc tem razão: não dá pra ele achar que vai ganhar as coisas estragando, né?
Bjos

Mariana - viciados em colo disse...

achei que sua linha de raciocínio foi correta, por todo o texto! sua conclusão final - de não dar o livro - está coerente com a realidade e eu sozinha não pensaria isso :(

agora, me diz, que vendedora sem noção é essa? dar um super livro de pop up para uma criança sem condição de obter supervisão (mãe ocupada!!!) prejuízo na certa --> eu não pagaria! <-- call me crazy!!!

beijoca

Coisas de mãe disse...

Ai que triste! confuso ne? Não sei o que faria, estes instintos só batem na hora. Mas achei que você manteve uma conduta bem bacana!


beijos

Luciana - Descobertas disse...

Ai Carol que situação hein!!! Na hora talvez não dá nem para pensar né? Mais uma para o livro das experiencias de mãe! Bjos linda , vc fez o que melhor que podia fazer e acho certo dá o livro só depois sim!!

Ivna Pinna disse...

ah Carol acho que sem querer! Mas acho que sua atitude foi correta, ele vai aprendendo que tem que prestar mais atenção nas próximas vezes.
Agora me diz: onde tava a vendedora suuuper legal que deu o livro pra ele???

Beijos

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails