quinta-feira, 17 de março de 2011

Autocontrole

imagem daqui

E então que maternidade é uma questão de autocontrole. TOTAL.
Explico.
Isaac está numa fase louca.
Mistura fantasia com realidade, confunde ansiedade com dor, frustração com fim do mundo e expressa suas insatisfações com "mentirinhas básicas".
E eu me sinto a Alice, caindo caindo caindo....
Louca pra encontrar as maravilhas todas no final dessa história maluca.

(Tá. Descobri - depois dos comentários do último post - que me transformei num ser neurótico e dramático, mas me deem um desconto, é uma fase pra mim também)

Mas voltando ao assunto... Meu filhote agora desenvolve enredos inteiros. Dá nomes e motivos para machucados. Conta acontecimentos que só perdem ou ganham sentido quando a gente vai conferir na fonte se são verdade ou não.

Outro dia mesmo entrou no carro dizendo que a professora o havia colocado pra lanchar no cadeirão.
Como assim? - Pensei eu, sabendo que toooodas as crianças da idade dele já comem devidamente acomodadas nas cadeirinhas e mesinhas projetadas para elas se sentirem capazes de comerem sozinhas.
E ele continuou dizendo que chorou, que não queria o cadeirão.
E eu, preocupada e com a pulga atrás da orelha, estiquei o papo. (Dai-me força ó Santa Protetora das Mães Inocentes e Sem Experiência)
Perguntei se outros colegas tinham usado o cadeirão e ele disse que não. Só ele.
Aquilo me matou.
Mas continuei alí, firme, ouvinte, me contorcendo pra não expressar o zilhão de minhocas e caraminholas que passavam pela minha cabeça.
E pra finalizar o "Why me???" do dia, Isaac completou o trajeto escola-casa repetindo o mantra "mamãe, medo do cadeirão, medo!".
Sim, caras amigas, eu mudei de assunto, eu falei do meu dia, eu coloquei musiquinha que ele adora, fiz de um tudo.
Dia seguinte, vim trabalhar na angústia.
Só não roí as unhas porque, além do autocontrole master que a maternidade me confere o esmalte azul jeans dessa semana tá um arraso.
Toca o telefone e me liga maridex dizendo que conversou com a professora e foi comunicado que Isaac NUN-CA (do verbo never) utilizou os cadeirões da escolinha e que estes são reservados para os bebezinhos matriculados no mini maternal.
TOMA!

Aprendo nessa escalada que faço durante o crescimento e o desenvolvimento do meu filho que paciência é sim uma virtude.
Mas autocontrole chega a ser tão vital quanto oxigênio.
Ô se é.



21 comentários:

Paula Dreger disse...

Ai Carol, muito bom!
Esse menino tem uma criatividade enorme. Acho que é da idade, e como já devem ter ter falado, vai passar.
Mas imagino voce ouvindo o que ele te falou e sentindo uma vontade enorme de ir na escola e tirar satisfacoes com a professora. Como assim com meu filho? hahaha...
Se fosse comigo eu teria me acabado de angustia até poder no dia seguinte ir até a escola e perguntar o que aconceteu.
beijos e respira fundo!!!

Ana disse...

Kkkk
Já cai nessa tb. Agora tô esperta! Vou prologando, prologando o assunto até pegar a ponta do pé da coisa.
Faz tempo que não passo carão com a escola. Rs
Bjs!

Anne disse...

putz grilos que nervoso!
eu não sei também como reagiria!
a gente tem que ter muita confiança na escola, né? muita mesmo, sobrenatural...
porque eles são tão lindinhos, queridos, fofinhos que podem contar a maior fantasia do planeta e é capaz de a mãe baixar na diretoria rodando a baiana...
mas ô se é difícil.
fácil é faculdade de medicina!
bjo

Mari Hart disse...

Nossa Carol, mas ele tá muito esperto! Pedro com 4 anos inventa dessas, vivo com cara de tacho!

E a maternidade é isso, um exercício diário de autocontrole! Vc é normal, ju-ro! huhauhauhauha

Mariana - viciados em colo disse...

alice fazia isso sempre, do verbo always! aqui em casa quem "cai" é o pai. sempre deconfiei de qualquer reclamação.

ela veio me dizer uma vez que ela não fazia xixi no banheiro da escola porque os meninos ficavam olhando pelo vão (imagina: tarados de quatro anos!) e a pró deixava... entre outras...

agora, que não faz mais, sofre com as minhas desconfianças em relação a qualquer queixa, tadinha.

beijoca

Mamãe pela 2ª vez disse...

Ai meu Deus, não sei o que faria se fosse comigo, claro que ficaria com o pé atras ainda mais ele insistindo no assunto.
bjus

Camila disse...

Já passei por isso, Carolzitcha. Em ambas situações: a minha filha dizendo a verdade e a professora "mentindo" e a minha filha inventando altas viagens e a professora nos trazendo de volta à Terra. Nada fácil, de tirar o sono. Mas é necessário conhecer muito bem os nossos filhos e confiar na escola por nós escolhida q dá tudo certo!
Bjos,
Camila
http://mamaetaocupada.blogspot.com/

Tchella disse...

auto controle, é a chave. e, acredito eu, em todas as fases. o pequeno lucas as vezes deu p fazer birra, como pode, aos 6 meses. chorar sem NENHUM motivo. aos berros, e assim q eu encontre algo interessante o suficiente p distrai-lo, deu acabou td e qlqr choro. controle. auto controle. muito.

Re disse...

Nossa mae..haja criatividade, o que por um lado eu acho itmo, mas por outro, que sufoco, como diferenciar a realidade da fantasia?? Acho que se vc fosse realmente aquelas maes neuroticas e superprotetoras ja teria tomada a afirmaçao dele como verdadeira e rodado a baiana na escolinha. Ufa...

Micheli disse...

Kkkkk! Por que será que parece que eu já ouvi essa história?
Paciência, amiga.
Beijos.

Ioly a dona do verdades... disse...

Complicado, não é ? Como discernir ou encontrar a verdade diante das queixas de nossos anjinhos nem tão inocentes? rs
Eu percebi este comportamento na Mi qdo ela começou a dizer que o braço, o nariz, o ouvido, a barriga, e tudo o mais estava doendo para não tomar banho...
bjks

Carol Passuello disse...

que doideira, menina!!! eita menino criativo!!!! fofo! enlouquecedor de mãe!
bjs

Juliana disse...

Caraca! Quanta criatividade! De onde ele tira essas histórias? kkk

Sara Lima Saraceno disse...

Não vou mentir que eu daria uma incerta na escolinha na hora do almoço... oooh se ia!! rsrsrs!
Sara
http://www.vivendoavidacomoelaeh.blogspot.com/

Li disse...

Carol,

Fique tranquila!!!
Agora falo como professora e não como mãe, já que meu filho ainda não fala!
Uma vez, um aluno da escola onde eu trabalhava falou para a mãe que ele passou mal durante a aula de natação, vomitou na piscina e que a professora dele (não era eu) o fez continuar na piscina fazendo a aula...
Ele não tinha vomitado e seria um horror qualquer criança ou até mesmo a professora dele e o professor de natação continuarem na piscina que segundo ele estaria suja de vômito.
A mãe foi na escola para tirar satisfações e o menino disse para a mãe: _ Te peguei!!! Você acreditou no que eu falei!!!

Que horror! Crianças têm dessas!
Só não podemos deixar crescer!

Beijos!

Lívia.

Fabi disse...

Oi Carol... eles são assim mesmo, viu. A minha também dava dessas... e é bem aquilo que a Anne disse mais acima, a confiança na escola é fundamental. Claro que eu, dependendo da história, ia confirmar os fatos, mas na maioria das vezes, eu ouvia e até entrava na história dela, porque era cada uma que só sendo ET pra acreditar... Queria ter só um pouquinho dessa mente criativa que eles teem... hehehe Gde bj da Fabi.

Luma Rosa disse...

Carol, ele pode ter arrumado uma maneira de te prender a atenção e quando pequenas, as crianças muitas vezes confundem os sonhos com a realidade - Elas acreditam mesmo que aconteceu e ficam frustradas quando um adulto chega e diz que é mentira. Ele também não tem a noção de que uma mentira pode trazer sérias consequências, em contrapartida, não é bom que isto torne-se rotineiro, para ele não carregar para si o estigma. Você poderia procurar por um apoio psicológico, até mesmo na escola. Ele pode estar copiando um coleguinha, por exemplo. Boa sorte! Beijus,

Sarah disse...

Mas que menininho danado!! Nossa, Carol, eu tbm ia ficar doida, imaginando o diálogo que ia ter na escola tirando satisfação, kkkkk...
Mas no fim, ainda bem que era mentirinha né! Sapequice de filho a gente aprende a lidar!
bjocas

Kcau-Coisa de Garotos disse...

Eu ia comentar, mas quando li o comente de Luma Rosa, fiquei murcha. Pq eu ia usar palavras mais singelas.
Não é fácil lidar com estas fases, mas se soubermos lhes ensinar sobre os efeitos que uma mentira pode trazer, o crescimento pode ficar um pouco mais fácil. Pq a mentira faz parte da natureza humana e eles só precisam saber assumir as consequências dos seus atos. Auxílio psicológico é mesmo uma boa viu. Bjocas

Eleonora Monticelli disse...

Carol, adoro seus posts! Mais uma vez, ri mto :) Qto a escola, é difícil, né.. temos que confiar, mas sempre ficamos com aquele pé atrás..
Bjs!
http://cegonhatrends.blogspot.com

Chris Ferreira disse...

Oi Carol,
foi bom saber que sessa vez não era invenção né? Aconteceu mesmo!
É auto controle e paciência vão ser necessários, muito necessários.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails