quinta-feira, 26 de agosto de 2010

As mães também tem medo


Hoje o dia está assim.
Começou assim.
Sei lá que horas essa sensação vai embora.
Acontece que minha gripe passou pra um estágio seil-lá-o-quê e não vou conseguir entrar no ar hoje. A voz tá feia e quase inexistente. O nariz (zazis?) pediu férias, deixou bilhetinho dizendo que, independente do tudo (remédio, soro, lencinho, pomadinha) que eu enfie nele, só volta a trabalhar quando bem entender.
O fato é que, sensibilizada pelo estado gripal, já já tenho uma consulta médica que me assusta.
Não sou dessas que se abalam com qualquer coisa. Muito pelo contrário, até nego um pouco o medo e assim, ganho forças pra combatê-lo. Não fujo de briga nem de uma boa discussão. Sou abelhuda e metida desde pequena. Se não dá na força, vai no verbo. E sou assim.
Opa, Carolina! Pra quê tanta auto-afirmação?
Armadilhas. Do medo.
Confesso que estou com medo. Sim.
Não adianta. Só vai passar depois da consulta e olhe lá.
Mas não é só a consulta. Nem a cara feia (e esse não tem não) do médico.
É que o conteúdo em si me fez perceber que eu não sou eterna. Que posso ser forte em vários sentidos, mas não sou eu que decido uma coisa ou outra.
Que eu tenho medo sim. E posso tê-lo sem me sentir fraca. E posso me sentir fraca também. E chorar. E ter vontade de correr e adiar a tal consulta.
Ok. Essa última frase não faz parte do meu temperamento-personalidade. Mas a vontade está aqui sim.
E o medo? De aceitar que posso não estar aqui. Perder tudo.
Daquela sensação de nadar, nadar e morrer na praia.
De me prender no "cedo demais".
Estou com medo sim. Reconheço.
Mas vai passar.
Só não sei quando.

***Saindo desse papo brabo em preto e branco...
Hoje também estou na casa da vizinha. Me metendo entre os textos da Kah.

20 comentários:

(Mamãe) ~Pinel disse...

Além de mães, somos humanas, e quase sempre nos esquecemos de pensar nisso!

Vai passar sim, e desabafos ajudam nesse processo para que tudo volte ao normal!

Espero que não seja nada e que você melhore logo, logo!

Beijoo!

Fala Mãe! disse...

Eu sou uma medrosa e antes de ter filho não tinha medo quando ficava doente, agora tenho, seu o quanto eles precisam de mim. Esepro que melhore logo querida, beijo

Ser mãe é viver constantemente feliz! disse...

Ai Carol, eu sei bem o que isso amiga, tbm me pego nessas reflexões. Como meu filho vai ficar? Será que vou vê-lo crescer, casar, ter filhos? Quando será o meu dia? Nunca mais vou estar com ele, com meus amigos, minha familia....será que estarei em dia com Deus? Nossa, é um papo cabeça mesmo que a gente nunca têm respostas não é? Mas o que posso te dizer é que esses pensamentos passam e que a gente tem que curtir o hoje, viver como se fosse o último dia. Se a gente viver bem todos os dias nunca teremos arrependimento de nada. Fica tranquila, vc ficará bem , pois precisa passar essa paz para o seu filho tbm...beijinhos

Juliana Dalzoto disse...

Que que eu vou te dizer agora, amiga?
Coragem, viu?
Vai dar tudo certo na consulta, vc vai melhorar e o medo pode não passar, porque afinal, o medo faz parte da vida, o diferencial é como cada um lida com ele! E vc está na luta, não está deixando se abater, está enfrentando...

Boas melhoras viu?!
Logo logo essa sensação ruim vai passar! Aposto :)

Beijão carinhoso
Ju

Simone disse...

A gente é assim mesmo, Carol. O negócio é que antes dos filhos, essa realidade não teimava em ficar aparecendo assim, na cara e na lata.

Vai passar sim. É só ter calma e muuita paciência

Bjs!!!!!

Marina Fiuza disse...

É menina... mãe tem medo de morrer. E nem é pelo medo da morte em si, nem pela nossa vida... é pela vida dos pequenos. Mãe não tem direito de morrer. Nem de morrer.

Mamãe Mari e Pedrinho Facco disse...

Lendo sua postagem me lembrei de uma poesia de Carlos Drummond de Andrede chamada "Para Sempre"

"Por que Deus permite que as mães vão se embora?
Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não se apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento.
Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça, é eternidade.
Por que Deus se lembra - mistério profundo - de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei:
Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho."

beijinhos
Mari e Pedrinho - Mundo do Pedro
http://mariepe.blogspot.com

Fabiola disse...

Aff.. nem gosto de pensar nisso...
Tb morro de medo de faltar à minha pequena..
Bjs e melhoras!

Bia disse...

Oi Carol! Achei seu blog no blog da Ju Davim e vim conhecer vc e o Isaac.

Parabéns pro seu pequeno pelos 2 aninhos e fica tranquila que vai dar tudo certo na consulta, é só acreditar. =)

Também tenho um pequeno de 2 anos e uma princesinha de 3 meses. Se quiser passar pra conhecer a gente também, meu cantinho é: http://ideiasdemae.blogspot.com

Beijoss!
Bia

Mamma Mini disse...

Putz Carol, nem fale, também morro de medo ás vezes, de tudo.. de não dar conta, de não controlar, de não poder proteger de todos os males amém sempre... tô hoje num dia preocupada também e com medo, mas não comigo com o filhote, mas vai passar eu sei que vai passar, vc vai no médico e vai ficar tudo bem, vc é forte e não podemos controlar nada mesmo mas temos nossa "consciência" acho que lucidez e consciência ajuda muito em qualquer hora... nossos sentimentos vem e vão, mas a gente continua no barco... um super beijo e desejo que as nuvens se dissipem e vc fique shining again... um beijo viu!

LUA disse...

Medo e nóias.Matam a gente.Por nós, por eles.
quando Malá nasceu, eu tinha medo de atravessar a rua e não poder voltar pra casa...
coisas de mãe...
melhoras!
bj bj bj

Só as mães são felizes!
http://www.coisa-de-mae.blogspot.com

Sarah disse...

Carol, acho que todas nós sentimos esse medo de vez em quando... Faz parte do pacote mãe, junto com a culpa. Mas você não vai nadar e morrer na praia, porque vai deixar para trás os seus ensinamentos, carinhos, valores.
Melhoras!
beijos

Nine disse...

Poxa, espero que não seja nada grave! Mande notícias logo!

Beijos!

Sarah disse...

Voltei para dizer que adorei seu texto no blog da Kah! Lindo demais! E obrigada por se lembrar e se preocupar com meu pitoquinho! :P
beijos!

Nutrição e Cia disse...

Além da Carol de todas horas existe ai sim minha cara uma pessoa, humana que sente frio, fome e porque não medo. Lógico ele está dentro de nós o tempo todo sobre controle claro. E as vz com uma doencinha boba, ele toma força e se mostra. Mas a gente sabe que é por pouco tempo né?! Logo, logo Carol contra ataca. Bjs

Micheli disse...

Somos humanas, temos sentimentos...! E medo? Sim, todas nós temos...
Melhoras pra vc!
Um beijão.

Camila disse...

Querida, fica assim, não, vc é tão pra cima, não precisa, viu?! Vai passar, tenho certeza, pode se acalmar!
Bjinhos,
Camila
http://mamaetaocupada.blogspot.com/

Luma disse...

Ai, eu sei bm o q é esse medo, acho até que é um sintoma típico de mães, rsrs. Mas passa, pode tentar ficar calma, digo tentar pq sei q não é fácil.

Se tiver um tempinho passa no meu blog e vê a campanha que estou fazendo pra ajudar um orfanato.

bjinhus pra vc e seu filhote lindo
Luma

http://coisasdemaecoruja.blogspot.com

Mi Satake disse...

Ca, medo é normalíssimo. Eu vivo assim, meio q querendo tomar conta do muuuuuundo e com medo de não dar conta.
O melhor d td é assumirmos q somos frageis as vezes e encarar q o q sentímos é natural, é humano.
Amanhã td ta novo de novo.

Bjão pra vc!

Ioly a dona do verdades... disse...

Carol, mãe tem mais medo que os outros mortais sem filhos... rs
É um coro, um único pensamento - na minha ausência, se fico doente, quem cuidará do pequeno?
A solução é ter confiança em Deus, tranquilizar o coração e esperar pelo melhor.
bjk e melhoras

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails