quarta-feira, 13 de abril de 2011

O certo, o errado e o caso do nariz

imagem do Google

E daí que chegou o dia.
Não que falar de morte ou sexo seja fácil, mas ontem a coisa pegou, já que violência não é lá a minha praia.
E foi resolvida no supetão, no instinto, em frações de segundo.
Explico.
Cheguei pra pegar Isaac na escola ontem e ouvi:

- Mamãe, o coleguinha nome e sobrenome me empurrou na cadeira.

Sangue ferve, mãe tem vontade de dar meia volta e aniquilar com a criatura infanto-violenta, mas calma, respira, e lembra que essas coisas acontecem:

- E machucou filho? Você caiu?

- Não. Eu só sentei.

- E a tia viu?

- Não.

- Você contou pra ela?

- Não.

Sangue ferve de novo, mãe quer extinguir do planeta a raça das criaturas infanto-violentas e das tias que não veem.

- E você fez alguma coisa? Empurrou ou bateu no amigo?

- Não.

Sangue em ebulição e auto-controle quase indo pras cucuias. Mas mãe é bicho besta e metida a Nobel da Paz.

- Filho, é muito feio bater e empurrar não é?

- É.

- Mas a gente também não pode deixar os amigos baterem na gente.

Aí me olha a cria com o maior ponto de interrogação do universo estampado na carinhafofademeuDeus...

- Seguinte, se o colega bater ou empurrar ou fazer algo que você não goste, conta pra tia.

- Mas...

Esse mas me veio assim "e se a tia não der muita atenção, hein mamãe???"
Aí eu soltei. E quando percebi já tinha dito. E não sei se vocês aprovam ou não, mas analisando bem com todo o drama e a culpa que me cabem, tenho certeza que fiz a coisa certa...

- Aí você empurra também, e mostra pro colega que você não está alí pra ser empurrado. E que deve ser respeitado.

PAUSA
Não é loucura. Já falamos muito de respeito em casa.
E também já observei Isaac brincando algumas vezes e vi que ele meio que tem vocação pra deixar essas coisas acontecerem. Deixa que outras crianças peguem seus brinquedos e tals. E eu não quero que ele sofra por não saber se defender.
DESPAUSA

- Empurro forte?

- Não, amooor, a gente não pode machucar os amigos, nem ninguém, certo?

- Certo.
E fez-se um bico. Daqueles recordistas.

- Filho, só uma coisinha... Toda vez que acontecer algo que você não goste você pode vir falar para a mamãe, ok? Eu vou te ajudar do jeito que der e a gente resolve o problema.

Sorriu de novo, aliviado, mas o bico ficou alí e começa um choro.
Todo seguro filhote resmunga com os olhos cheios de lágrimas:

- É que o papai falou que eu tenho nariz de tuuuuurco....

- Hein?

- Ele falou que eu tenho nariz de tuuuuurco....

PAUSA
Entendam aqui, zero preconceito. Descendente direto de árabes, lógico que maridex sonha e deseja que os seus traços étnicos apareçam no Isaac o quanto antes... E sim, ele tem dessas conversinhas com a cria. E também tem muitas respostas assim pra todos os amigos que brincam com o filho louro e de nariz pequeno que eu dei a ele.
DESPAUSA

Diante da reclamação do Isaac, o que falar?

- Ô filho, porque você está chorando? Nariz de turco não é uma coisa ruim. Seu papai tem nariz de turco e é lindo.

- Mas eu não queeeeeero...

- Vou te contar uma coisa: o seu nariz é bem pequenininho, não tem nada de turco.

Filhote sorriu mas olhou desconfiado.
E eu tentei tirar aquela dúvida do ar:

- O que você acha do nariz da mamãe?

- Não é de turco.

- Pois eu acho que, mesmo o nariz do papai sendo lindo, o seu nariz é mais parecido com o meu. O que você acha?

Aí ele me responde com a voz fanha de tanto apertar e esfregar as cavidades nasais:

- Eu acho que o meu é pequenininho, pequenininho.

- Então tá filho. Você entendeu?

- Entendi... Mas você conta pro papai que o meu nariz não é de turco?

...

36 comentários:

Re disse...

Carol, tb daria o mesmo conselho pra Manuela..se bateu, retruca..o que nao pode eh iniciar a agressao, mas se foi iniciada, tem que se defender, oras bolas!! E qto ao nariz, hilariiooooo, amei. Aqui ficamos na expectativa pra saber como será o nariz da Manuela, ja que do meu lado os narizes sao de batata e do marido sao de tucano, entao ja viu o que nos aguarda, ne? hahahah.

Renata disse...

Ai, sabe que eu já tive essa crise de ensinar a revidar ou não, mas antes que eu precisasse ensinar alguma coisa, fiquei sabendo que ele se defende super bem. Não bate e nem empurra gratuitamente, mas revida quando fazem com ele, então deixei assim mesmo.
Qto ao nariz de turco, só rindo mesmo desses pais. Meu marido é carioca e fica querendo que o André fale as coisas como ele e não se conforma quando ele pede bolacha ao invés de biscoito! rsrsrs!
beijos, querida

Paola disse...

Pode apertar essa coisa fofa ?

que graça seu filhote, gente.
fiquei babando aqui do outro lado da telinha !

Paula disse...

Ai outro dilema da maternidade.... eu também fico pensando se o certo é ensinar a dar o troco ou só falar com a professora. Mas eu acho que concordo com vc, se a tia nao fizer nada e a agressao continuar, eu aconselho ele a pagar na mesma moeda. E o nariz dele é lindo! Ele nao precisa se preocupar!kkkkk Rindo muito!

Mirys + Guigo + Nina disse...

Carol:

Definitivamente, você é engraçada, mulher!!! Tô me matando de rir com essa do nariz...

PS: não conta pro Isaac, para não traumatiza-lo, mas meu apelido era tucano, quando pequena, e eu ODIAVA! Claro!!! Não tinha culpa de ter nascido com desvio de septo master blaster gigante!!! Mas, nada que não se resolva com uma cirurgia, depois dos 16... kkk

Bjos e bençãos.
Mirys - hoje, linda, com narizinho!
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Mãe de Duas disse...

Ahhhh, fofos!

Ana Carolina disse...

Difícil esses momento, né? Mas acho que vc se saiu muito bem...faria o mesmo.

Adorei seu blog, to seguindo.
Depois passa pra conhecer o meu: meusmeninosgemeos.blogspot.com

Micheli disse...

Kkkkkkk! Que fofo! Essa do nariz foi ótima!
Sobre a questão de bater a apanhar. Tudo bem que a minha é menina, mas sempre que ela conta que alguém bateu nela eu falo que tem de dizer para a professora. E normalmente ela me fala que disse.
Ok.
Mas acho que você está certa em ensinar que ele tem de se defender. Não bater, agredir, mas se defender é importante, sim. Mas acho que é sempre melhor frisar que o primeiro a fazer é chamar a professora.
Beijos.

Vanessa Thaiz disse...

Carol...
a Anna Laura tbm tem a mesma vocação e pensando bem...o sangue ferve e é claro o conselho é o mesmo...fazer oq mãe é mãe...agora qto ao nariz...essa foi demais...seja qual for o nariz ja é lindo! bjs

Paula Dreger disse...

Ai Carol, meu coracao apertou...tadinho.
Mas te entendo super, tambem nao sei como faria para ensinar a cria a se defender, sem incentivar a "violencia".
Mas acho que ele entendeu direitinho.
E o narizinho dele é taooooo lindinho!
beijos

Anne disse...

que dureza...
o nariz? não! ssa parte foi ótima.
mas simplesmente não sei o que farei quando chegar a minha vez de orientar p pimpolhosobdre o amigo que lhe empurrou da cadeira.
a parte consciente diz: jamais revide. esse é o certo de se ensinar. a parte mãe diz: defenda-se. esse deve ser o possível...
bjo

piscardeolhos disse...

hahahahahaha, turquinho fofo da tia!
agora, cá pra nós, atire a primeira pedra a mãe que nunca falou pro filho revidar e se defender do batedor/mordedor/desgramadinho??
láááááá nos livros de pedagogia, certo, certo isso não deve ser, né, carol?
mas que mãe que vê um troço desse e acha fofo, me diz?
(imagina, gata, quando eles forem adolescentes?? juro que consigo me visualizar empurrando, eu merrrrma, o empurrador da cria :)
beijos!

Coisas de mãe disse...

hahahah bonitinho!!!

O pedro sempre foi o que mordia, então nunca precisei dizer para ele "Revidar". Agora que ele cresceu um pouco ele é da turma do "deixa disso", nunca deixa a confusão ou a briga continuar... com a Luiza ainda não sei muito o que fazer, mas jea sei que ela voltou com uma mordida no rosto semana passada!!

Martha disse...

kkkkkkk
Carol..to rindo da historia do nariz... As crianças guardam tudo q dizemos, não te jeito!! rsrsrs

Quanto a sua orientação. Concordo com vc.. Falar com a professoa e se não der jeito, não abaixar a cabeça... Faria exatamente a mesma coisa!!!

Essas coisas acontecem e o pior é que aumentam com o passar do tempo!!!
Bjnhos em vcs!

Roteiro Baby disse...

KKK!
Adorei a do nariz! Quanto bom humor e coerência em um só post!

Patricia disse...

Carol,
minha mãe vive dizendo que uma das coisas mais difícil na educação dos filhos saber dosar isso, de educar para a vida, para o mundo, para se defender ou criar o filho bonzinho, que a gente sonhou ter.
complicado,né?

bjssss

Fabiana disse...

Ai que vergonha... ando sumida também, né Carol?

Fiquei com peninha do Issac por ele achar que o nariz é feio porque o pai diz que é de turco.
Quanto ao certo e errado, minha mãe sempre disse que a gente tinha que se defender sim e eu também vou ensinar isto para o meu filho.

Mas que é um papo bem complexo e que divide opiniões,isto é!

Bjos

Fabi disse...

Oi Carol!!!! Fiquei muito contente com a sua participação, viu. Queria muito te agradecer de coração. Você, a Camila e a Aninha foram minhas primeiras seguidoras e ter vocês participando é muito importante pra mim, viu. Obrigada mesmo!!

Sabe que esse negócio de filho 'apanhar' em escola é triste, né. A minha levou de mordidas no nariz a empurrões em escadas. Também não curto violência, mas ver a cria ser passada pra trás também não dá, né. Marido ensinou a pequena a revidar. Graças a Deus nunca precisou. Mas essas coisas tiram mesmo nossa paciência materna, né. Mas as crianças são assim: hoje se empurram, amanhã se beijam. Hoje são melhores amigos e amanhã não são mais. E a gente vai ficar tomando todas as dores? Vamos é ficar com fama de encrenqueiras e chatas. Então, o melhor é ensiná-los a se defenderem e mostrar o que é legal e o que não é. Claro que todas as vezes eu falei com a professora dela. Fazer o quê? Deixar passar uma vez, vá lá. Mas quando o negócio vira rotina, tem mesmo que verificar.

E sobre o nariz... hilário!!!! Esse negócio de querer que o filho se pareça com um ou com o outro é clássico, né. Até hoje ainda discutimos que ela é a minha cara e ele acha que ela é a cara dele... hahaha... Genética é o 'must'.

Bj enorme Carolzinha. Fabi

Tati, mãe do Iury disse...

Tenho certeza que o Isaac entendeu direitinho seu conselho. E eu aconselharia assim também. Adoro suas conversas com Isaac, me inspiram muito.

E nariz de turco? Agora ele diz que não quer, mas acho que logo logo vai querer ser/ter tudo do pai. rsrs

um beijão em vocês,
té mais Carol!

Renata disse...

Falamos muuuito em casa sobre isso, mesmo Heitor ainda no forninho... Criar meninos é isso mesmo - ajuda-los com esses conflitos, né? Crias filhos é isso... Eu concordo com vc, acredito SIM que eu farei o mesmo. Tentarei ensinar a se defender, sem perder a ternura (JAMAIS!...rs)
Beijosss
Renata

Cleide Ana Rota disse...

Meu Deus como esse teu filho é fofo! Bom; amiga,sou da mesmíssima opinião... Senão acabamos criando filhos que só apanham dos amiguinhos e são coerentes com isso. E revidar esse pouquinho na infância não vai gerar nenhum ato de violência extrema no futuro. Beijos com carinho; Cleide e Heloísa.

http://www.closetdahelo.blogspot.com

Fabiola disse...

Que coisa mais fofa!!! com ou sem o nariz de turco.. :)
Olha... essa sua reação é normal!! acho que qualquer uma de nós teria vontade de dizer a mesma coisa...
Bjs!

Fe Piovezani disse...

Carol, acho que fez certo sabe. Uma vez eu fiz a mesma coisa. Cansada de ver Luísa apanhar de um amiguinho, que nem da escola era, falei: filha, da próxima vez vc mete a mão na cara dele!
A gente tem sangue de mãe que entende que tudo isso é normal, mas chega uma hora que não dá, né?
beijos

Eleonora Monticelli disse...

Ai, Carol.. que situação, hein? E o pior é que ainda vamos enfrentar mtas delas pela frente... rs. Acho que vc fez certo, ensinou ele a se defender, sem ter a intenção de machucar, mas mostrando pra ele que não pode deixar fazer o que quiserem com ele... Enfim...
Qto ao "causo" do nariz, adorei! hehehe... Coisa fofa ele "chateado" com o nariz de turco :)
Bjocas
http://cegonhatrends.blogspot.com

Camila disse...

Vc fez muito bem, Carolzitcha! Eu faria igual, ou melhor, ops! Já fiz, tá??
E qto ao nariz... como é q põe uma gargalhada absurda aqui no comentário???
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Dani disse...

Ai, Carol...é um dilema e tanto! E, olha, eu te apoio. Se tivesse feito isso beeeemmm no comecinho com a Bia, ela, não teria permitido que tantas coisas acontecessem com ela.

Ai, ai...

Beijo

Mirys + Guigo + Nina disse...

Carolzinha:

Hoje eu tô aqui:
http://3xtrinta.blogspot.com/2011/04/conte-seu-dilema-qual-e-hora-certa-de.html

Vai lá dar o seu ponto de vista? E aproveitar para curtir o cantinho das 3 x 30.

Bjos. Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Ilana disse...

Nossa Carol, difícil isso da agressão, heim? Ainda não aconteceu conosco, mas não tenho a mínima ideia de como reagiria.
E sobre o nariz, que fofooooo. Eu quando pequenininha tinha uma nóia de que todo nariz era feio e eu era única que não tinha nariz. Até o dia que vi ele (o nariz) lá no espelho e me achei a mais horrorosa das meninas. Criança tem cada uma...
Beijos

Karin Petermann disse...

Aiii JesusMariaJosé!!!...

Eles sempre tem umas coisas escondidas além daquilo que eles falam né. Incrível....
O que tava mais incomodando ele era o nariz de turco... tadinho!!!!

Falamos e fazemos coisas que as vezes nem percebemos né!!!

Beijos

Karin

www.mamaeecia.com.br

Mari Hart disse...

Ai meu Deus Carol!!! Como uma criança dessa idade sabe o que é nariz de turco?!!? Comassem meldels?!!? A crueldade(SIM, CRUELDADE!) tá cada vez mais cedo, aff.... fiquei p#$@% por vc, sério.

Olha, Pedro é incapaz de bater em alguém, falo p/ele chamar a tia mesmo, mas Stella desde uns 5 anos eu digo: "Se vc apanhar, pode baixar a porrada!!!!!" E assim ela ganhou respeito! rsr.... um dia ela levou um tapa na cabeça e finalizou o menino que ficou pedindo arrego no chão. Pode não estar certo, mas tb não é certo nossos filhos virarem saco de pancada de criança mal amada. Humpf. Só agora depois de velha ela ficou boba, vai entender!

Bjos no narizinho!!! =)

Mariana disse...

guria, que duvida....eu tambpem ja tive esta duvida, e o maridex decidiu pela mesma resposta que deste....beijos da mariana

Pinguinho da Mamãe disse...

Carol...
Hahaha... adorei o apertando o nariz.... que lindo...
Agora, qto ao conselho, acho (acho, não, tenho certeza) que faria o mesmo que vc. Dizia a meu irmão: Não dá para ser saco de pancada, dá!!! Não é certo bater, mas tb não é certo apanhar!
Bjs
Ju

disse...

Ai que bonitinho! Adorei essa preocupação dele com o nariz de turco! Achei o seu blog e linkei no meu... posso continuar seguindo? Se quiser dê uma passadinha no meu também.... babyzigoto.blogspot.com

bjinho,

Ioly a dona do verdades... disse...

Acabei de ter um arrepio que correu todo meu corpo.
Como assim alguém (mesmo que em miniatura) batendo em nossos filhos?
Como a Mi irá reagir nessas situações? Só Jesus.
Porque acabo de descobrir que vai ser barra...
bjk

Sarah disse...

Que difícil isso do empurra-de-volta ou não né Carol... Mas acho que tem que se defender né, não dá para ficar sendo empurrado (e eu me sentiria como vc, ficaria p da vida!).
E o caso do nariz foi tããão fooofo... e, vem cá, vc contou pro papai que o nariz do Isaac não é de turco?? :P
bjos!

Chris Ferreira disse...

Oi Carol,
aqui eu digo para elas dizerem que não gostaram do que o(a) amigo(a) fez. Que bater não é coisa de amigo e se fizerem de novo elas não vão ser mais amigas.
Quanto ao nariz do Issac, ele é lindo.

Mas legal que o Isaac sentiu confiança em falar para vocÊ.

beijos
Chris

http://inventandocomamamae.blogspot.com/

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails