segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Como estou velha ou Curiosidades comportamentais...


É.
Vou falar aqui de um universo que não é o meu.
Do qual imagino fazer parte só daqui uns 12 ou 13 anos.
Como as coisas mudam...
Digo no quesito comportamento e lugar na sociedade.
Explico.
Fomos a uma festa de 15 anos no final de semana.
Daquelas festas com tudo o que se tem direito, sabe? Quase um casamento.
Tá.
Mas acontece que me pus a observar a quantas anda a relação meninos X meninas hoje em dia.
E fiquei num misto de curiosa, indignada, satisfeita e saudosista.
Explico de novo.
As meninas TODAS estavam de vestidos curtíssimos, brilhantes, decotadérrimos, da moda. Sapato de saltíssimos, modelo TOP, cores vibrantes, da moda. Montadíssimas, cabelo, maquiagem, bijus, da moda.
Nada que não seja o normal. Ok. Concordo.
Mas não foi só aparência que me chamou a atenção.
A grande maioria ficou sentada a noite toda. Convenhamos que é salto demais pra aproveitar uma balada. Mas cá entre nós, esse é o tipo de sabedoria que se adquire com o tempo... e elas tem muuuito tempo pra descobrir isso.
Mas o problema é que o X da questão não é o salto em si nem a dor no pé.
É que elas estavam lá. Quietas, esperando. Esperando ser notadas, avaliadas, analisadas pelos meninos.
Aaaaaa... esses sim. Na moda também. Mas de calça jeans e sapatênis. Num conforto absoluto. Muito gel no cabelo pra combinar com a camiseta básica branca.
(Opa! Essas aí, são um clássico desde a minha época)
Eles, por sua vez, flanavam pelo salão como se a festa fosse deles. Olhando de cima, de baixo, de cima pra baixo. Jogando suas Bieber-franjas pro lado que lhes interessasse.
A pista de dança era só deles. As meninas se espremiam pelas bordas pedindo um pouco de atenção. E não só deles. Mas atenção que toda mulher quer e precisa quando se arruma pra sair, quando se sente bonita. E isso em qualquer idade, viu?!
Aí fiquei eu, com essa mania de mãe/jornalista/mulher analisenta.
Primeiro que no meu tempo não era assim (ai que velha).
Era só a gente aparecer sem o uniforme do colégio e ter um pouquinho mais de personalidade pra não ficar segurando a vassoura em nenhum momento da festinha (ai, sou velha mesmo).
Depois de um tempo, nas baladas, o principal era dançar, e os rapazinhos (sou uma velha cacarequenta) é que olhavam, se insinuavam, arriscavam aproximação.
Os meninos sempre estavam em volta das meninas, pedindo atenção, com certa timidez, enquanto a gente tomava conta do salão, da festa, das conversas.
A mulherada-mirim é que decidia se ia usar a pista de dança ou não. Sobrava espaço pra dançar com os braços e as pernas e ainda fazer um charminho, já que eles olhavam pra gente. Sim, olhavam.
Lógico que a gente se arrumava, se preocupava com a moda, com a cor, a maquiagem, mas que eu me lembre isso não era preocupante. O grande lance era se divertir, mesmo que pra isso fosse necessário ficar descalça.
Ah! Taí outro ponto. Vi inúuuumeras meninas mancando, se arrastando, se escorando até o momento das tão esperadas havaianas. Lembrança certeira de qualquer festa que se vá neste século. E elas só se sentiram a vontade bem no finalzinho, quando a cerimonialista decidiu que era a hora de distribuir as sandálias de borracha.
Ficar descalça? Que mico! (se é que esse termo ainda existe)
Diversão?
Tá bom que esse é o jeito dessa geração se divertir. Não recrimino nem abomino.
Mas fui embora as 5 da manhã e não vi, em momento algum, uma paquera, uma conversa envolvendo ambos os sexos.
Olha lá, hein? Não tô pregando aqui que as meninas ou os meninos devam entrar em contatos imediatos, assim, ficando, beijando, transando. Não. Cada um resolve a hora que é A hora. Cada um sabe se é cedo ou tarde. E cada pai e mãe sabe a maneira de conversar isso com as crias.
Eu tô é falando aqui da sociabilidade. Do contato saudável entre amigos, entre pessoas da mesma idade. De meninos e meninas com algo em comum.
É um fato curioso que depois de tanta luta feminista, conquista e tals, as meninas de 13, 14 ou 15 anos se espremam a esperar que algum menino libere espaço na pista ou na festa para que elas brilhem.
...
O satisfeita lá de cima????
Explico mais uma vez.
Tenho um filho, que em alguns anos vai se tornar um menino, e se tudo correr bem, vai ser convidado para festas, bailes, viagens. E se ele herdar toda a segurança masculina dessa geração e souber usá-la para o bem, não vai ser de todo ruim.
E que Deus me dê sabedoria para ser uma boa educadora e mãe... e uma excelente sogra...

27 comentários:

maeperua disse...

Ah, e eu quero sabedoria para ensinar a minha pequena a ter auto-confiança e não ficar se esgueirando pelos cantos, mas sim a se divertir e a dançar MUITO.
Beijos

Renata disse...

Fiquei surpresa ao ler esse post, pois tinha a impressão (também completamente distante desse universo) que as meninas estavam mais "atiradinhas" do que na nossa época (que velha!). E eu acho um exagero essa produção toda, com saltos altíssimos, maquiagem...acho cedo! Só que hoje em dia está tudo mais cedo mesmo.
Medo!
Tb espero saber lidar com essa fase tanto com o Dedé quanto com a Nana. E pra ser sincera, espero que demore muuuuuuuuuuito pra chegar...hehehe
beijos

Fabiola disse...

Não consigo imaginar minha pequena nessa fase.. espero que ela seja bem mais confiante.. acho que essa geração que chega é mais independente.. quem sabe não teremos novos comportamentos..
Também me surpreendi com seu relato... pensava que as meninas eram atiradas!! e os meninos os "pegadores" do pedaço... acho que as meninas precisam de identidade! sei lá..
Bjs!

Natalia disse...

Nossa... Eu fiquei triste com a descrição. Mesmo tendo filho homem. Porque não acho que se trate de “problema” com o comportamento das meninas. A questão diz respeito a ambos, meninas e meninos! E toca diretamente meu filho porque ele terá amigas, porque ele terá namoradas (se quiser, né?), e porque ele pertence, ou pertencerá, a essa juventude...

Patricia disse...

Assustei, mas ao mesmo tempo tenho esperança que até chegar a vez dos nossos pequenos tudo isso mude novamente. Também sou do tempo em que a gente se divertia mais (e que a mulherava dominava, claro). Para Mariana, só quero que ela se divirta, saiba aproveitar a vida, cada fase, sem bobagens, nem saltos altos (no duplo sentido mesmo). Se depender de mim, e da minha educação, vai ser assim. Não quero filha mini-barbie. Nem gostaria de ter filho justin biber. Vamos ver no que vai dar..rs
beijos

Cristiane Mota disse...

A gente realmente se divertia mais.. alias, eu falei com meu marido neste fds que precisamos muito ir a uma balada e se jogar numa pista de dança até o sol raiar - rs !! Mãe tambem precisa de balada uma vez na vida... E que eu tenha sabedoria para criar meu filho para este mundo, e ser uma boa sogra :)

Paty Fortunato disse...

Amiga,

Confesso q não gosto mto do modo q vejo hj as meninas se comportarem,sou mãe de menino,ainda bem rs...
Mais é sério,acho um exagero toda essa produção.Na minha época (falou a velha agora rs)eu ficava mais a vontade,aproveita mais a vida,me divertia de verdade.
Acho tão bonito quando vejo uma menina vestida de menina,hj q q mais se ver são meninas vestidas iguais aos adultos.

Beijocas e saudades!!

carol disse...

Lendo seu post relembrei meus 15 anos e as festas que ia e realmente nós dominavamos o pedaço e não tinhamos, pelo menos que eu lembre essa preocupação toda que as meninas de hoje tem em relação a produção. Nossa me divertia muito.
Quem sabe na epoca dos nossos filhos as coisas estejam melhores.

bjuuu

(Mamãe) ~Pinel disse...

Sabe que o seu tempo não é tão velho assim, afinal no 'meu tempo' (?) as coisas também eram bem parecidas com o seu. E olha que eu só tenho 18 anos!
Na última festa de 15 em que fui (há uns 5 anos atrás) as meninas ainda eram as rainhas da festa!

Eu concordo com você, acho que falta sociabilidade e amizade na adolescencia de hoje (finge que eu não sou adolescente). As meninas só pensam em mostrar o quanto são maduras e estão 'na moda'.

Vai entender! Elas que nao sabem o quanto é difícil essa vida de gente grande! =)
Beijo!

Lane e Pedro Henrique disse...

Eu acho que as meninas de hoje estão se produzindo DEMAIS e muito cedo...e daí deixam de aproveitar a vida, na sua simplicidade. Por este lado, ainda bem que somos mães de meninos! Mas mesmo assim, muitas vezes me pego preocupada, pensando em como serão as coisas na época da adolescência dele. Bjks!

Mariana disse...

BAH, QUE COISA NÉ...
Tava lendo assustada. O que será que nos espera na adolescencia de nossos filhos??? Tb torço para educar meu filhote direitinho, e que eu seja uma otima sogra, risos....
Nos ilumine bom Deus, nos ilumine!

Anne disse...

Tá faltando auto estima, não tá? Elas não avançaram um pouco no tempo, usaram as roupas de gente grande e está difícil suportar o peso, ou a altura do salto? Não virou um personagem muito difícil de interpretar? Menina de 13 anos vive femme fatale no filme "o baile de 15 anos"!!!

Acho sim que é um reflexo da chegada precoce da fase adulta, pulando a magia, o charminho, o frio na barriga e o meio salto da adolecência...
Para os meninos é mais simples, camiseta branca é manhã, tarde e noite, na infância e na velhice... certo?
Bjos, adoro seus posts
Anne
mammisuperduper.blogspot.com

Coisas de mãe disse...

Estranho ne? PArece que faz pouco tempo que a gente passou por isto (algumas menos do que eu ou você tststst) e que então vai ser mais fáci entender os detalhes e os sinais. MAs a verdae é que não vamos. Quer dizer muitos vamos, mas outros não, poruqe já não é nossa geração. Ihhhh dei uma pirada aqui!

beijos


Pati

Simone disse...

Eu te entendo, Carol. Vivo me pegando nessas observações também e acho que muita coisa importante que vivenciei na minha infência e adolescência se perderam nos dias de hoje. Uma pena..

Eu também espero conseguir apresentar à Sofia as boas maneiras de convivência e conhecimento do sexo oposto pra ela se encontrar no momento oportuno e da melhor maneira.

Bjs!!!!!!!

Sarah disse...

Nossa, também não esperava que as festas hoje estivessem assim! Achei que todos se divertissem, dançassem, conversassem... Confesso que, enquanto estava lendo o post, lembrei das minhas festinhas de adolescente... lembrei até da vassoura, hahaha!! Sou velha também, viu??
Mas realmente, o mundo é mais "cruel" com as meninas... Desde pequenas é uma overdose de consumismo, de maquiagem e vestidos inadequados à idade... Nas festas então, produção total. Eu, nas minhas festitas, até colocava um saltinho, mas nada esmagador de dedos. Maquiagem mínima e olhe lá, e nada de esmalte.
Como pretendo ter uma menininha, me preocupo com isso... Não quero uma mini-Barbie, como disse a Patrícia.
Enfim, vamos ver como estará a sociedade quando Isaac e Bento forem adolescentes... Adorei a conclusão do post, também quero ser uma boa sogra, kkkk!!
bjo!

Dani disse...

Carol, também dou do tempo que a mulherada dominava o espaço! E era divertido mesmo!
Quanto aos dias de hoje, acho que as coisas estão meio esquisitas. Extremos demais. Pra elas o divertido é comprar o vestido marca X e o sapato marca Y e fazer chapinha no cabelo. Ter amigo homem não rola.
Agora, Carol, querida, te pergunto: quando é que aconteceu essa mudança? Menina...a sensação que tenho que é perdi o bonde...
Belo post, viu!
Bj.
Dani

Fabiana disse...

É Carol, se a gente for pensar em tudo o que a nossa geração viveu na infância e na adolescência e comparar com as crianças e adolescentes de hoje em dia, dá um pouco de pena. Digo isto porque eu me diverti horrores até, sei lá, uns 14 15 anos... Meu negócio era andar de bicicleta, de patins, brincar de pega-pega, esconde-esconde e quando chegou a fase dos bailinhos de garagem (agora me denunciei total) era outro clima mesmo. Mas não dá pra gente querer que seja igual, né? Os tempos mudaram, o jeito de viver mudou. E eu acho bom nem pensar muito em como vai ser quando nossos filhos forem adolescentes, porque senão a gente dá uma piradinha. Acho que vamos aprender a lidar com tudo isto junto com eles.
Adorei o post!!!
Bjocas

Mariana Hart disse...

Carol,perfeito!Adorei o "mulher analisenta."rs!

É muito etsranho mesmo né!?Olha confesso que pelo menos aqui no RJ não vejo as meninas tão "sentadinhas" assim nas efstas...o que vejo são mini mulheres decotadas com slato 15,mini saia rebolando até o chão quase como uma dança do acasalamento. Me choca um pouco juro!(que velha!2!) Vejo meninas d 12 anos se esfregando nos meninos,não há mais auela conquista,romantismo da nossa(?)época.

E tá cada vez mais cedo,as amigas da minha filha de 10 anos fazem escova progressivausam salto e maquiagem!Como assenhê!?!?

Morro de orgulho da atutenticidade da minha filhota que é uma moleca e brincalhona como toda menina deveria ser! Não,não sou uma mãe cega,e ao contrário de vc,acho que serei uma péssima sogra!ahhaha...#faleyyy#

Bjãoo!

Pinguinho da Mamãe disse...

Oi, Carol...
Que dificil, né...
Imagine eu que lido com isto todo dia...
Se vc se assustou na festa, não vá a uma escola de pré adolescentes...
Será que estamos velhas, ou tudo mudou mesmo????
Adorei a Bieber-franja...kkkkk
Na escola tb é assim... elas imploram por atenção, tb vão montadas, maquiagem completa e eles... nem ai...
Mas acho que tem mais a ver com aquela história, sabe: "Meninas amadurecem mais cedo que meninos..."
Pelo menos é melhor pensar assim...kkkk
Bjs
Ju
Ah, tem selinho para vc lá no blog.

Bianca disse...

Oi Carol! Manda essas meninas irem nas festas da Luana! Lá bomba- sem pegação, ainda- pra todos os sexos ( e idades, já que a criançada não se intimida com os 'mais velhos' na pista) E olha que nas festas da Lu vai muito adolescentes mais velhos que ela tb! Mas concordo com vc, num todo essa geração tá esquisita (acho que esse é o termo que mais me expresso para defini-los).
Lindinha, uma boa semana pra vcs!

Lilian disse...

... boa sogra?
Deusducéu... será que vou conseguir? Hj foi o primeiro dia de adaptação na escolinha e já estou com ciúmes das tias trocando a fralda suja do meu pequeno...
Tomara que eu consiga... rsrsrsrsrsrs...
(Adorei a definição Bieber-franja!)

Camila disse...

Carolzitcha, parece que foi ontem e já mudou tanto, né?! Me-do!! E tbem tenho a sensação de que antes era mais divertido, livre, leve e solto (no bom sentido, tá?!).
Mas, sério, prefiro me lembrar dos bailinhos com a vassoura do que me imaginar sogra, socorrooooo!! Coitados dos meus filhos, eu vou ser terrível de ciúmes, preciso começar a tratar já disso na terapia, hahahaha!
Bjos, querida!
Camilitcha

Luciana disse...

Olha so... que surpresa isso... E vou te contar que no Brasil fui a uma festa de casamento, e poderia ter analisado todas as garotas e garotos por la, assim como vc fez e tirar alguma conclusao dos dias de hoje, mas quer saber? Eu estava tao sedenta por uma festa, por dancar sem me preocupar com a cria, que fui pra pista e nao vi nada!

E se tb te serve de consolo, compartilho integralmente com seu sentimento de "velha". Tb sou do tempo da vassoura sobrando, viu? Que horror!!!

Beijos, Carol!

Lu

Juliana Dalzoto disse...

Oi Carolzinha!!!
Bom dia, flor!

Adorei suas observações, é isso aí mesmo neh! Como está tudo diferente... tb já havia notado como os adolescentes não conseguem uma "comunicação" mais corpo a corpo, dançar junto, conversar, rir, essas coisas...

Mas se vc é velha, eu sou tb, hehehehe :)
Acho que gostava mais do nosso tempo...

Beijocas
Juju

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Oi carol!! nossa,vc descreveu bem mesmo a nossa relaidade..éeee..eu tb to velha,kkkk..e na minha epoca a coisa era outra...acho sim que estao todos mais vaidosos,mais exagerados..e mais sozinhos!!!
A aparencia é levada como a coisa mais importante do mundo nos dias d ehj..tomara que quando chegue na vez do Enzo ir a festinhas a coisa tneha mudado e as pessoas voltem a dar valor aos sentimentos...
beijão!!otima semana!!
;-)

Confissões de uma mãe de primeira viagem disse...

Nossa fiquei de cara agora...rsrs
a maioria das festinhas que vou as meninas é que ficam rebolando lá na pista e dançando créu até o chão, e os meninos só de longe aproveitando e olhando...rsrs

nem me fale em ser sogra,morro de medo só de pensar...rsrs
bjos

Si disse...

Carol... estou hiper por fora dessa realidade! para mim tudo continuava como "antes" (no meu tempo rsrsrs), as meninas se divertindo e os garotos pedindo um pouquinho de atenção pra gente... imagino qdo Saulinho tiver nessa idade, como será?... quero ensina-lo que tudo tem sua hora, curtição, namoro, casamento.... mas o importante msm é ser feliz ne? bjsss

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails