sexta-feira, 6 de abril de 2012

é pique! é pique!

Hoje faz dois anos que esse bloguinho saiu da cabeça.
De lá pra cá, as ideias não encontram barreiras durante o percurso cérebro-dedos.
Me sinto em casa.
Me sinto capaz.
E não me sinto tão sozinha diante do tudo o que a maternidade carrega consigo.
Parabéns pra mim.
Pras mais de 500 seguidoras queridas.
Pras amigas virtuais, pelas quais tenho carinhos bem reais.
Pros comentários que me fizeram rir, chorar, refletir e sentir abraço quente.
Obrigada.

E quando comecei esse blog, fiz questão de colocar esse texto.
Que escrevi no meu primeiro dia das mães como mãe.
Coloquei num papel rascunho, na tentativa de colocar pra fora aquela montanha russa de sentimentos que borbulhavam dentro de mim.
E eu adoro esse texto.
Adoro.
Obrigada.

Ser mãe

Ser mãe é uma confusão. Uma mistura tão intensa de sensações e sentimentos que dificilmente quem não é entende.
Ser mãe é uma caixinha de surpresas. Toda mulher está preparada, mas não sabe. Quando chega a hora está lá, como item de fábrica.
Ser mãe é ver a barriga crescer fazendo planos. E esses são os únicos 9 meses (no meu caso 7) em que você vai ter tempo para isso.
Porque ser mãe é viver um dia de cada vez, uma fralda de cada vez, uma mamada, uma soneca, manha, beicinho. Tudo de cada vez.
Ser mãe é saber que é hora de quê sem olhar no relógio. É não ver o dia passar. É saber que o mês passou só quando perguntam quanto tempo o seu filho tem.
Ser mãe é se encher de orgulho quando falam “Nossa! Que grandão!”.
Ser mãe é ser assim. Forte sem ter noção da força.
É escolher com o quê ter paciência. É descobrir uma nova mulher em si a cada dia.
É não se importar com o resto do mundo, mas chorar ao pensar em que mundo seu filho vai crescer.
Ser mãe é não pensar tanto no futuro. É ter vontade de olhar fotos antigas para ver com quem ele realmente se parece.
Ser mãe, aliás, é achar que um dia ele é a sua cara, mas no outro de seu só tem o pé.
Ser mãe é achar tudo lindo, tudo engraçado, tudo novo. É estar atenta as descobertas sem interferir muito. É aplaudir o acerto e ser firme no erro.
Ser mãe é não ter sono. Ou ter e fingir que ele não existe.
É deixar de lado a vaidade, mas se achar linda com olheiras e tudo.
Ser mãe, para a maioria, é esquecer (pelo menos um pouco) que existe estria, celulite, peito caído, salto alto, bijuteria.
Ser mãe é ser polvo. É ter quantos braços forem necessários para carregar o carrinho, a bolsa, a chupeta, o paninho, o brinquedo e o filho. Ufa...
Ser mãe é procurar selo do Inmetro, peça pequena, peça grande, estímulo.
Ser mãe é conseguir. Conseguir amamentar, deixar na escola, com a babá,deixar crescer.
É conseguir entender o choro e deixar chorar.
Ser mãe é ficar parada na beira do berço. É dizer “Deus te abençoe”. É entender que o amor existe em diversas formas, inclusive nessa, tão pura e transparente.
É não pensar mais em morte, é entender a vida.
Ser mãe é aguentar o tranco.
É sentir dor nas costas, nas pernas, nos braços. E não sentir mais nada quando um sorriso se abre, quando um choro começa ou a tosse dispara.
Ser mãe é discutir com o pediatra, é questionar o medicamento, é acreditar nas dicas da avó.
Ser mãe é renovar laços. Com si próprio, com a família, com as tradições.
Ser mãe é ter e ouvir os instintos. É ser leoa, ave de rapina. É ser desconfiada como a raposa e ágil como a lebre.
Ser mãe é ser filha também. É mais aprender do que ensinar e mais ensinar do que aprender.
Ser mãe é conviver. É deixar que convivam. É aproveitar cada fase do filho e de ser mãe.
É cortar as asas e é deixar que voe.
É correr pro abraço, esquecer o cansaço e trocar a fralda, preparar o banho, a mamadeira e escolher a roupa, tudo ao mesmo tempo.
Ser mãe é estar completa.
É ter o coração quente, os olhos cheios de lágrimas, os braços cheios de força e a cabeça repleta de idéias e preocupações.
Ser mãe é ter sempre um filho a mais: o marido.
É entender o começo de tudo. É procurar explicações bem no fundo.
É suspirar. É concordar discordando.
É, desde o exame positivo, nunca mais estar sozinha, e mesmo sozinha, ter em quem pensar. É estar perto mesmo longe.
Ser mãe é seguir em frente.
É não deixar que o tempo pare e é achar que passa rápido demais.
Ser mãe é ser mãe.
Sempre
 
...
 
 

8 comentários:

Aressa disse...

Carol, Parabéns, pelo blog e pelos belos textos que vc nos presenteia !
bjs

Carolina disse...

Carol, PARABÉNS! Com certeza esse é um dos blogs preferidos. Bjs

Marina disse...

Parabéééééns, Carol!!!!!!!
Que venham mais 20 anos desse blog delicioso!
beijocas

Bianca disse...

Carol, parabéns!
É uma delicia sempre vir aqui!
Que estejamos juntas por mais muitos anos! ;)
Beijos

Flavia disse...

Viva o Viajando e vida longa, longuíssima ao blog.

Beijo gde

Mariana - viciados em colo disse...

parabéns, querida!
acho que estou aqui desde o início, né? assim como vc foi uma das primeiras lá no viciados!
parabéns e anos de vida ao blog! será que blogaremos sobre aborrecentes?

Sarah disse...

Eeeeeee, parabéns Carol, parabéns! Que venham mais 2, mais 10 mais infinitos! bjao!
PS: e que lindo texto!

(Mamãe) ~Pinel disse...

Impossível não gostar desse texto mesmo Carol!!!!
Falou TUDO! hehehe

Parabéns pelos 2 anos de blog! E que venham muitos outros!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails