quinta-feira, 31 de março de 2011

Fazendo média com o coelho

imagem do google

E a Páscoa taí.
Já.
Sem querer parecer sem assunto, mas o ano tá passando rápido...
Bem rápido.
Outro dia mesmo estava fazendo o balanço de 2010 e agora estou aqui, postando o último texto de março.
Loucura.
Loucuras da vida.
E do tempo.
Mas antes que eu disperce total vamos ao assunto que me trouxe aqui hoje.

Isaac está mais "engraçadinho" que nunca.
E esperto.
(meu filho é um gênio, né gente?!?!)
Sabe bem onde aplicar suas gracinhas inocentes (oi?) pra alcançar objetivos.
Acontece que a Páscoa taí, como eu já disse.
E com ela, todo o apelo comercial necessário pra que a gente entupa a casa de ovos de chocolate.
JesusMariaeJosé! As opções infantis da guloseima se multiplicaram de maneira infinita este ano!
E Isaac, que não é bobo, já entra no supermercado olhando pra cima.
E eu, até então tenho usado a história de que "o coelho" vai trazer no dia certo o ovo que ele escolher.
Primeiro porque é uma delícia ser criança e acreditar nessas coisas mágicas e depois porque foi uma diversão só ver a cria fuçando a casa em busca dos ovos no ano passado.

E a escolinha do Isaac colocou um ovo de Páscoa enoooorme pra decorar a entrada do prédio esta semana.
Mas a coisa é grande mesmo.
Tão grande que, se murchar a barriga, caibo eu dentro confortavelmente.
Acontece que Isaac, todo fofildo, vem falando que quer um ovo daquele tamanho.
Sem a mãe dentro, creio eu.
E acho que depois de alguns dias tentando, percebeu que ia ter que usar toda a sua graça e sabedoria infantil pra conseguir a mosntruosidade chocolística.
Ontem mesmo ele mudou a abordagem:

- Mamãe, queria taaaanto um ovo desse...

- Desse tamanho Isaac? Será que o coelho vai conseguir carregar tudo isso?

- Vaaaaai... E eu ia falar pra ele "muito obrigado coelho, eu adoreeeeei o ovo"...

Posso com isso?????

terça-feira, 29 de março de 2011

E o desfralde? É coisa nossa!


Bom,
eu toquei no assunto ontem, né?
E depois de toda a Campanha de Socorro para as Mamães Desesperadas com o Desfralde que fizemos, eu não poderia deixar de atualizá-las a quantas anda o processo todo por aqui.
Seguintes...
Parece que a coisa agora vai.
Isaac já sabe muito bem quando está com vontade de fazer xixi. Pede pra ir ao banheiro. Faz, dá descarga e cobra o adesivo prometido para toda tronada realizada.
Yuhu!!!!! Yes Baby! We can!
Lóóóógico que as escapadas existem. Ontem, por exemplo, foi o Dia Mundial da Escapada, mas vá lá, a gente entende e não se chateia.
E estamos indo super bem.
Agora, mais seguros e felizes, estamos conciliando o desfralde em casa e na escolinha.
Até semana passada a cria não queria nem saber de cueca na escola. Era uma coisa.
Mas ele não queria e eu não forçava (sim, aceito as críticas, sou uma mãe preguiçosa porém feliz com as próprias escolhas).
Mas belo dia, tudo lindo e conversado com a super professora, filhote pediu que o troninho dele fosse levado pra escola.
E lá está a privadinha cantante até hoje, auxiliando a turma do Maternal 1 com a banheirância.
Não é uma graça????
Sem contar que Isaac vem todo feliz pra casa por conta das tronadas escolares e os parabéns todos que tem colecionado por conta disso.
Volta pra casa de cueca, todo orgulhoso, repetindo a frase Pinoquiana "Eu não sou bebezinho. Sou um menino de verdade".
Criou até uma certa cumplicidade com elas e conversa com as estampas todas.
Ótimo.
Mas como nessa vida a gente as vezes é obrigado a fazer uma coisa de cada vez....
E a ensinar isso pros filhos também...
Ontem a noite precisamos explicar ao Isaac - tim tim por tim tim - porque é que ele ia dormir de fralda.
Ele não queria colocar a bendita.
E eu alí, sem saber se deveria entrar na onda dele ou não.
(Oh! Vida materna! Quantos dilemas ainda me aguardam???)
Mas acontece que as fraldas amanhecem explodindo de tão cheias e eu precisei ser racional.
Dormiu fraldado.
Acontece que são etapas, e estamos vencendo uma a uma.
Ufa...





segunda-feira, 28 de março de 2011

Espelho...

imagem do google

E daí que agora Isaac usa o vaso sanitário e não fica completamente satisfeito se não sobe sobre o trono e ele mesmo dá a descarga.
Ok.
Ele merece.
Tem feito avanços importantíssimos com o desfralde.
E eu quase morro de orgulho toda vez que ele me olha e pede pra ir ao banheiro.
Lindo!
Mas não é sobre isso que eu quero falar.
Precisei, pra chegar até aqui.
Acontece que quando sobe na privada, Isaac consegue olhar para o espelho do banheiro, mesmo que na ponta dos pés.
E sempre tem a mãe atrás dele, caso se empolgue e resolva tomar um tombo básico.
Sábadão, pós xixizinho bacana, ele olha bem pro espelho, manda todo o xixi feito esgoto abaixo e ergue a sombracelha.
Olha pro espelho novamente e sorri pro meu reflexo:

- Espelho, espelho meu... existe mamãe mais linda do que a minha????

Imaginem aí a minha cara de babona e morta de paixão.
Ele continua, com a voz mais grossa, fazendo bico, imitando o clássico Espelho Disneilândico...

- Nããããão minha rainha, a sua mamãe é a maaaaaais beeeeeela....

Ploft!
Morri.
Mentira.
Morri não.
Peguei ele alí e beijei tanto, mas apertei tanto e ri tanto e quase chorei tanto que... que... que... eu nem consigo terminar esse post...



sexta-feira, 25 de março de 2011

Isaac?????


Hoje acordei com saudade.
Sei lá do que, nem de quem.
Só saudade.
E daí que nesses dias, eu maluquete que sou, me apego a alguns acontecimentos da vida.
Aqueles que já passaram.
E hoje eu me pus a lembrar de quando decidimos pelo nome da cria.

- Mas que raios de nome é esse???????

É.
Ouvi isso várias vezes.
Várias não. Muitas.
Foi difícil as pessoas entenderem/aceitarem/respeitarem a nossa escolha.
Mas eu tenho essa SFG  - Síndrome de Forest Gump - incontrolável e adoooro contar uma história.

...

Como já disse aqui, até o sexto mês de gestação, os pitacos familiares, o folclore brasileiro, um bebê de pernas fechadas e toda interferência externa nos faziam crer que o ser que habitava em mim era do sexo feminino.
Eu, por teimosia, instinto ou prazer em ser do contra, achava que não. Até sonhava com uma menininho fofo, loiro, que se apresentou para mim durante várias noites como João Garcia.
Mas vá lá, deixava o povo dizer o que bem entendesse e ia comprando uma infinidade de coisinhas brancas, verdes, azuis e sem definição de gênero.
Então que lá no penúltimo ultra a figura se mexe e mostra o penizinho todo faceiro.
E agora????
O que a gente faz com a "Isadora"???
Nome que eu havia escolhido e não arredava o pé, caso meu instinto fosse made in Paraguai, e o filho fosse filha mesmo.
Bora decidir um nome masculino, pensei eu, toda "dancinha da vitória", olhando um maridex petrificado na penumbra da salinha médica.
Tá.
A gente já havia falado em Isaac algumas vezes.
Nome forte, bacana, simpático.
Eu até havia dito que gostava de João (o menino do sonho), maridex vetou.
Depois da Isadora eu resolvi não pitacar no nome masculino, mas com total direito a veto caso me fosse conveniente.
Os dias foram passando e o nome, sinceramente, não era uma coooisa assiiiiim. Ia rolar, beleza, sem neuras.
Até que um amigo muito querido, com a religiosidade num grau elevado, um dia sem mais nem menos me chama pra conversar no MSN com a seguinte pergunta:

- Você sabe quem foi o Isaac da bíblia?

E me contou alí, resumidamente, o motivo pelo qual decidimos o nome do nosso filho.
E eu resumo mais ainda aqui, ok?

Abraão e Sara já estavam muito velhos e ainda não tinham conseguido ter filhos*.
Um dia, eles receberam a visita de anjos do Senhor que prometeram** a Sara que ela teria sim um filho. A mulher, até então descrente em ser mãe, gargalhou*** ao receber a notícia.
Sim. Eles tiveram um filho e deram o nome de Isaac.

Explico:

* Só nós sabemos o quanto pensamos que não teríamos filhos depois de dois abortos, tratamentos, etecéteras, etecéteras e etecéteras.
**Um dos significados do nome Isaac é "filho da promessa".
*** O outro é "filho do riso".

Como é que eu ia deixar passar nome tão bacana desse?
E definitivamente o menino lindo, alegre e cheio de vida que completa todos os meus dias não poderia ser chamado de outra maneira.
Combina, sabe?!

Bjocas e super final de semana.



quinta-feira, 24 de março de 2011

Tchan Tchan Tchan Tchaaaaaan!

Tá.
Eu digo quem ganhou o Pacotão do Viajando se vocês prometerem que não vão reparar nas unhas não feitas, na cara de cansada, na filmagem desfocada e desenquadrada e na gaguejância toda.
Ok? Ok? Ok?

Foram 128 participações entre blogadas e twittadas.
Muita gente querida, gente nova, gente que só veio pro sorteio, enfins...
Foi uma delícia.
Desde a idéia propriamente dita, a escolha dos prêmios, as parcerias todas.
Obrigada mesmo!

Tá.
Chega então de lero-lero, que no final das contas o que a gente quer saber mesmo é quem vai ser o alvo da inveja alheia, né?!?!
E eu fiquei muuuuito feliz com o resultado (ficaria com todos, confesso), mas é que esses dois sortudos aqui são um xodó...
Captou a dica, hein sorteada?!?!?!?!


video




quarta-feira, 23 de março de 2011

As verdades da vida... ou do começo dela


Três vivas ao caprichoso e querido Doutor Obstetra!
Outros tantos ao ponto plástico e as maravilhas da medicina moderna que deixaram uma cicatriz quase nenhuma, um fio gravado no meu ventre.

PAUSA
Olha lá hein?! Não estou pregando aqui que todos os bebês venham ao mundo através de cesáreas. Isaac nasceu assim porque tinha que ser. Deixo claro que admiro todas as mães, seja lá de que jeito pariram seus filhos, jeito natural, cirúrgico ou mesmo na fila da adoção.
DESPAUSA

E essa semana, num dos divertidos banhos de banheira que tomo com o meu filho, eis que a surpreendente percepção infantil me dá mais uma daquelas rasteiras.

- Mamãe, o que é isso?

Lá estava o dedinho apontante pras minhas partes íntimas. Coisa que acontece e eu respondo com naturalidade.
Mas a cria não estava exatamente perguntando sobre "aquilo".

- Nãããão, mamãe... Isso!

Os dedinhos continuavam apontando.
E eu, tentando entender/responder ou de alguma maneira me livrar daquela situação, respondi:

- Pêlos.

E tomei:

- Não. Manhêeeee. Iiiiiiiisso....

O iiiiiii acompanhou o dedinho indicador que percorreu direitinho a cicatriz da cesárea.
E eu, sem nem pensar nas consequências da resposta...

- Foi por aí que você saiu da barriga da mamãe.

(Tá, engrossem o coro junto com a minha consciência)

Óóóóóóóóóóóó!!!!!

PAUSA
Lembrem aí que tenho um filhote aficcionado por todas as versões TrêsPorquinhísticas existentes no planeta. Conta "Chapeuzinho Vermelho" de trás para frente. E agora adotou o livro "O lobo e os sete cabritinhos" onde a dona cabra muito brava tira os filhos da barriga do canis lupus e o recheia de pedras. Todas as obras muito bem contadas e onde o corte da barriga do lobo é relatado com maestria.
DESPAUSA

E daí???
E daí que percebida a m... feita eu tratei de transformar rapidamente tudo na coisa mais linda e fantástica (e foi mesmo) desse mundo.
Contei sim que o Querido Doutor Obstetra deu um remedinho e a mamãe sentiu a maior felicidade do mundo em vê-lo pela primeira vez fora da barriga.
Resultado?
Passamos horas no melhor pós banho EVER, vendo e revendo e revendo e revendo toooodos os álbuns e scrapbooks da gravidez, do parto, dos primeiros dias, das primeiras férias, do tudo do Isaac até hoje.
E aos poucos entendendo, eu e ele, a intensidade que tem isso tudo.
Todo dia.
Toda hora.
Cada segundo.


PS: Hoje estamos mais uma vez lá no BLOG VOE GOL, contando sobre as aventuras do Isaac nas alturas! Acessem e comentem!

segunda-feira, 21 de março de 2011

Mulher invisível

Não vou indicar filme.
Ã-ã.
E também não estou fazendo uma série de posts reclamões da vida, ok?
Eu ando meio sem graça, confesso.
Mas prefiro pensar que é uma fase.
Tá.
Mas quem aí, das cibermãezocas queridas, nunca se sentiu assim?
Não a Luana Piovani, mas A MULHER INVISÍVEL mesmo?!?!
Transparente. Nadinha da Silva em algumas ocasiões.
Eu não sei se é mal da idade, mas entre repetir um zilhão de vezes a mesma coisa pro Isaac e ser atendida vão aí mais que uma tonelada (se é que posso quantificar assim) de tentativas.
Haja paciência, desprendimento, amor e carinho.
A frase "vamos tomar banho", se acrescida do final "meu filho" passa a inexistir imediatamente.
E ganham o mesmo tratamento as variantes "vamos escovar os dentes", "trocar de roupa", "desligar a televisão", "almoçar/jantar/lanchinho", enfim, tudo o que é COMPROMISSO DA ROTINA.
Estava eu pensando essa madrugada - que acho eu é a única hora onde eu sou criatura exclusivamente pensante - que o ser humano começa logo alí, na infância, a renegar OU desenvolver a esperteza de empurrar/ignorar/se abster de algumas responsabilidades.
Aí cabe a vida e a criação e a experiência nos colocarem no caminho certo e no equilíbrio (ou prumo, como diria minha vozinha) de conseguir viver sem o demais pra nenhum dos lados.
Ufa.
E daí cheguei a conclusão de que é realmente uma delícia ter 2 anos e meio.
Puts!
Hoje, se ignoro minha mãe, como o fiz em alguns momentos da minha vida, quase morro/me mato de culpa e remorso, mesmo que seja pra coisas simples.
Se ignoro o fato de que o banho é essencial para eu deitar leve, limpa e feliz a cabeça no travesseiro todas as noites? Nem nem nem.
Escovar os dentes? Vital.
Tenho TOCs? Não sei. Não foram diagnosticados ainda, mas vá lá, vivendo e aprendendo né?
Ainda mais com um professorzinho saído de mim mesma...
Dá-lhe aula.
Dá-lhe aula de vida...

Ótima semana a todos nós!

sexta-feira, 18 de março de 2011

Unindo forças

imagem google
  
E então que ontem - dia que o Isaac fica integral da escola - eu cheguei mais cedo pra buscá-lo só pra dar aquela espiada básica, ouvir a pulga que me coça atrás da orelha e ser mãe, criatura neurótica e superprotetora por natureza.
E de láááá do fim do túnel pátio me vem a luz.
A "tia" do Isaac. A que dá aula pra turminha dele no período da manhã.
Sentou ao meu lado no banco de madeira e por um bom tempo ouviu sobre as minhas dúvidas, receios e angústias e conversou comigo sobre o comportamento do filhote dentro e fora da escolinha.
E de um jeito muito calmo me contou que falou sobre o episódio do cadeirão com a "tia" da tarde e que tinha algumas explicações para me dar.
GE-LEI.
Ela disse que a TODA turma da tarde (e não só o Isaac) está lanchando nos cadeirões, por escolha da professora.
Ãhã.
E eu fiquei alí, num mix de feliz e não sei o quê.
Acompanhem comigo: Yupiiii meu filho não viaja tanto assim e não mentiu tanto sobre o uso do cadeirão mas disse ter medo dele mas peraí! Porque porracaraidevida a "tia" não usa as mesinhas bonitinhas tchuc-tchuc????
Assunto pra conversar com a professora certa. Ok. Marco encontrinho/conversinha para a próxima semana.
Mas o que ficou de muito bacana e eu saí sim da escola toda feliz e confiante foi a conversa com a professora que o Isaac passa todas as manhãs.
Foi a atenção e o carinho. Foi alí a confirmação de todas as boas recomendações que fizeram sobre ela. O retorno que me foi dado com questões tão delicadas relacionadas ao meu filho-bem-mais-precioso.
Combinamos algumas ações para que o Isaac sinta-se cada vez melhor em estar na escola.
Unimos nossas forças alí.
Levantei do banco de madeira mais leve, bem mais leve.
Podia mehorar?
Ô.
Meu filhote deu um abraço tão apertado na "tia" querida que nem deu pra sentir ciúme.
Sinal que gosta e se sente bem.
E desculpem pela rima.
Se ele está bem. Eu também.


quinta-feira, 17 de março de 2011

Autocontrole

imagem daqui

E então que maternidade é uma questão de autocontrole. TOTAL.
Explico.
Isaac está numa fase louca.
Mistura fantasia com realidade, confunde ansiedade com dor, frustração com fim do mundo e expressa suas insatisfações com "mentirinhas básicas".
E eu me sinto a Alice, caindo caindo caindo....
Louca pra encontrar as maravilhas todas no final dessa história maluca.

(Tá. Descobri - depois dos comentários do último post - que me transformei num ser neurótico e dramático, mas me deem um desconto, é uma fase pra mim também)

Mas voltando ao assunto... Meu filhote agora desenvolve enredos inteiros. Dá nomes e motivos para machucados. Conta acontecimentos que só perdem ou ganham sentido quando a gente vai conferir na fonte se são verdade ou não.

Outro dia mesmo entrou no carro dizendo que a professora o havia colocado pra lanchar no cadeirão.
Como assim? - Pensei eu, sabendo que toooodas as crianças da idade dele já comem devidamente acomodadas nas cadeirinhas e mesinhas projetadas para elas se sentirem capazes de comerem sozinhas.
E ele continuou dizendo que chorou, que não queria o cadeirão.
E eu, preocupada e com a pulga atrás da orelha, estiquei o papo. (Dai-me força ó Santa Protetora das Mães Inocentes e Sem Experiência)
Perguntei se outros colegas tinham usado o cadeirão e ele disse que não. Só ele.
Aquilo me matou.
Mas continuei alí, firme, ouvinte, me contorcendo pra não expressar o zilhão de minhocas e caraminholas que passavam pela minha cabeça.
E pra finalizar o "Why me???" do dia, Isaac completou o trajeto escola-casa repetindo o mantra "mamãe, medo do cadeirão, medo!".
Sim, caras amigas, eu mudei de assunto, eu falei do meu dia, eu coloquei musiquinha que ele adora, fiz de um tudo.
Dia seguinte, vim trabalhar na angústia.
Só não roí as unhas porque, além do autocontrole master que a maternidade me confere o esmalte azul jeans dessa semana tá um arraso.
Toca o telefone e me liga maridex dizendo que conversou com a professora e foi comunicado que Isaac NUN-CA (do verbo never) utilizou os cadeirões da escolinha e que estes são reservados para os bebezinhos matriculados no mini maternal.
TOMA!

Aprendo nessa escalada que faço durante o crescimento e o desenvolvimento do meu filho que paciência é sim uma virtude.
Mas autocontrole chega a ser tão vital quanto oxigênio.
Ô se é.



terça-feira, 15 de março de 2011

Não, nada.


imagem do Google


Meu filho é a coisa mai fofa desse mundo.
Eu não poderia ter parido coisa mais linda.
Ele é espetacular até quando faz birra e me deixa cheia de dúvidas e preocupações.
Uma coisa.
Me faz explodir de amores.
E de horrores.
Mas dizem por aí que é o normal da maternidade.
E vocês devem estar se perguntando: O que ele tem feito de novo nessa vida cheia de graça?
Não, nada.
É.
Nada.
Acalmem-se!
Eu não estou tirando o sarro na cara de vocês! Não mudem de canal ou fechem a janela!
"Não, nada" tem sido resposta frequente pra esta sofredora e dramática mãe de primeira viagem.
"Não, nada" tem, insistentemente, acompanhado meus dias e respondido a todas as minhas perguntas, principalmente as que dizem respeito a escola.
Estou até tentando entender a fase, encontrar uma pontinha de graça nisso, mas confesso que estou ficando preocupada com tanta negativa.
E pra quê esse coportamento tão fechado???
De onde uma criança fofa e extrovertida tira "não, nada" e elege como resposta padrão?
Já nos reunimos com a coordenação pedagógica da escola.
Já mudamos a abordagem em casa.
Já pensei em tu-do.
Já. Já. Já.
?.?.?
S.O.S.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Sorteio: Pacotão do Viajando!

Mês que vem esse bloguitcho comemora um ano de vida.
Uau!
É palavra, texto, dúvida, drama, amiga, risada pacas.
Nem dá pra contar ou calcular ou dimensionar o quanto isso tudo aqui me faz bem.
Agradecer então... a gente tenta.
E daí que faz tempo que eu venho testando a minha sorte e acumulando "eu ganhei! uhu!" em vários sorteios realizados pela blogosfera materna.
Não que eu seja arrogante, mas foram livros, bolsa, roupas pro filhote e até uma viagem...
Tá.
Mas é dando que se recebe e looooogo chegou a minha vez.

É a hora do Pacotão do Viajando!!!!!!!

E esse sorteio não quer comemorar nada.
Quer é mostrar o quanto sou feliz com o meu cantinho internético e tudo de bom que ele me traz. E não falo pelos presentes, viu?
Cada comentário, cada amiga nova, cada troca de figurinha.
E chega de nhé-nhé-nhé.

A bonitona oooooou bonitão que faturar o pacotão vai receber em casa:



O CD Música de Brinquedo do Pato Fu, gentilmente cedido pelo Fred Douglas, produtor da banda.


Os dois livros bacanérrimos da Editora Pulp: "Crianças a Bordo" da minha querida Pati Papp e "Buenos Aires com Crianças" da Fê Paraguassu. (Valeu Pati!!!)



Uma Bebêchila térmica, super mega útil, eu e Isaac usamos muito a nossa. A estampa pode não ser essa, ok? (Beijocas pra Ligia!)

 O QUE É "MAMMA MINI"?

E tchanãnãnãããã!!!! Uma peça surpresa da Mamma Mini. Explico. Surpresa porque vai depender do tamanho da cria vencedora, ok????

A regra é clara, né Arnaldo?!

Pra participar:
- Tem que morar neste planeta;
- Tem que seguir o blog;
- Deixar um comentário neste post até às 23h59 (aprendi com a Receita) do domingo dia 20/3/2011 com nome e e-mail;

Tem bônus????
Ô!!!
Pra participar duas vezes basta twittar a frase:

@anacarolgarcias o Pacotão do Viajando é meu!! http://tinyurl.com/6bdrylt

Bom, o sorteio vai ser realizado na quarta-feira, dia 23/3/2011, logo após a soneca do Isaac. E creio eu, no estilo papelzinho, porque sei que filhote vai adorar a farra.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Corre! Corre!

Sexta-feira já é uma loucura.
E daí que hoje eu estou mais perdida que (imagine aqui o ditado popular da sua região e preferência, esse post é interativo)...
Cheia de trabalho, horários e enxaqueca.
Consegui passar em alguns blogs, comentar nem tanto, mas vá lá, sou uma só e ainda coleciono adjetivos como destrambelhada e esquecida.
Meio dia????
Ai Jesus!
Final de semana super top turbo mega blaster a todos vocês!
Aaaaaaah! Segunda-feira tem sorteio aqui no blog!!!!!
O primeiro. E promete!!!!!!!
Bjo

quinta-feira, 10 de março de 2011

Música e um tantinho de sorte

Somos uma família musical.
Não toco instrumento algum, mas escuto pacas.
Adoro.
Vivo cantarolando.
Isaac é assim também.
Adoro mais ainda.
E daí que naquelas minhas tentativas loucas de experimentar e descobrir o que agrada a cria eu cheguei ao "Universo ao meu redor" da Marisa Monte.
Eu ainda não tinha prestado muito atenção nas músicas, mas depois que o CD foi morar no som do meu carro vi que é de uma sensibilidade incrível.
E aí que Isaac agora relaxa e dorme enquanto a mãe louca canta a música que dá nome ao disco.
Linda linda.


E falando em universo, eis que ele conspira a meu favor....
Imaginem a dançinha da vitória.....
As queridocas lá do Eu viajo com meus filhos sortearam um final de semana num resort bacaaaana e adivinhem só quem levou?
hein? hein? hein????
Agora preciso ajustar orçamento e encontrar uma data, não é?
Obrigada meninas!
Bjocas e ótima quinta!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Pelourinho

Carnaval acabou?
Tenho cá minhas dúvidas.
E aproveitando o clima, fuçando meus rascunhos, descobri que faltou um post das nossas férias.
Ficamos hospedados na Praia do Forte, conforme disse aqui, aqui, aqui e aqui, mas fomos passar um dia em Salvador.
Estávamos loucos pra apresentar o Pelourinho ao Isaac, já que quando estivemos lá adoramos o astral, o clima e as cores do local.
Não.
Não foi do jeito que pensamos nem como lembrávamos.
Parece que esqueceram um pouco do Pelourinho.
As ruas estavam sujas e havia muito pedinte qualquer fosse a viela que entrássemos.
Nos decepcionamos e acho que transmitimos um tanto disso pro Isaac, que já irritado com o calor não quis saber de andar e tirou uma boa soneca embalado pelo treme-treme do carrinho nos paralelepípedos.
Tá que o passeio não foi só isso.
Filhote adorou assistir às rodas de capoeira, ouvir o som marcante dos pandeiros e berimbaus.


Depois que descemos pelo Elevador Lacerda e entramos no Mercado Modelo filhote ficou louco.
Alucinado com a mistura de sons e cores do lugar.
Correu pelos corredores, mexeu, fuçou e passou bons momentos descobrindo novos instrumentos pra sua banda imaginária.


Mas a dica da vez, além de deixar seu filho descobrir todas as culturas e participar delas quando der vontade, é o restaurante que descobrimos lá mesmo, dentro do Mercado Modelo.
O Camafeu de Oxossi fica no 1º andar e divide espaço com um outro restaurante, o Maria de São Pedro.
A recepcionista do Camafeu nos pegou no laço e com seu atendimento nota MIL já nos foi apresentando os pratos que poderiam agradar a família toda.
Além disso, ela nos colocou numa mesa bem em frente a um dos janelões do terraço do Mercado. Além da vista, a brisa refrescou um tanto o trio de turistas cansados e suados.
E nós pedimos um peixe ensopado com camarão e legumes na versão "menos quente" que entrou pra história como o "lambemos até o fundo da panela" da viagem.
Fora que, depois de alguns dias na Bahia, Isaac já estava viciado na tal farofinha de dendê.


E foi aí que também conhecemos a tal "cadeira de príncipe".
Na falta dos tradicionais cadeirões pros pequenos, a simpática atendente (que com vergonha não lembro o nome) empilhou 3 cadeiras de plástico e forrou com uma toalha.
Nos deliciamos, refrescamos e voltamos felizes pra Praia do Forte.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Histórias de Carnaval...

Sempre gostei de Carnaval.
O que primeiro me vem à cabeça são as fantasias iguais, confeccionadas pela minha avó para os 5 primos que não se desgrudavam. Naquela época o ápice da festa era o exato momento em que a mãe liberava a abertura do saco de confetes e a alegria ficava completa quando a gente podia correr e escorregar pelas matinês no clube da cidade.
Depois, tive a sorte grande de ter uma melhor amiga filha de foliã de carteirinha. E logo, ensaios de escola de samba tradicional e concentração no dia do desfile me faziam mais que feliz.
O tempo passou e, graças a Deus, vivi a época dos bailes adolescentes, com salões lotados, lança-perfume, shortinho jeans e havaianas no pé. Os porres, as ficadas, chegar de manhã... Muita coisa mudou, mas os dedinhos pra cima ao ouvir "Ei! Você aí! Me dá um dinheiro aí!" persistiram por inúmeros carnavais.
Até que a graça foi se perdendo e a tchurma começou a viajar nos dias de folia.
E então, os bailes foram se desintegrando, não era mais rentável pros clubes da cidade organizarem o evento todo.
Um grande hiato tomou conta dos Carnavais Carolinísticos.
Não reclamo.
Tinha que acontecer. Faz parte do processo e tudo bem.
E esse ano eu retomo meus carnavais. Com uma alegria ímpar e com as cores todas que se deve ter.
É o primeiro carnaval do Isaac!
Filhote está animadíssimo com a decoração, a festa, as músicas, o tudo.
Percebeu que através das fantasias pode ser quem bem entender e aí, já captou a boa mesagem que nos transmite Momo, o Rei.
(me desculpe, Roberto, mas agora é a vez dele e quinta-feira você retoma o posto, ok?)
Isaac já entendeu que hoje (o carnaval na escolinha já deve estar rolando a uma hora dessas) é dia de festa, de jogar confete pra cima, de dançar girando, de ser o Capitão Gancho.
Aliás, entre tantas fantasias que experimentamos foi essa que ele escolheu.
Ser o Gancho.
E lá foi meu filho pirata, descobrir mais uma coisa boa da vida e assim, escrever suas próprias histórias de Carnaval.


Arreeeee!!!

No Carnaval, posso viver dentro ou fora do mar... 

 A fantasia de "Tepepan" vem com carga infinita de pó mágico da Sininho...


Ótimo Carnaval para todos!
Cheio de boas histórias!!!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Adoramos um show...

E então que no final de semana a gente foi ver o Pato Fu.
O CD "Música de brinquedo" está simplesmente o máximo e eu nem tenho mais elogios a fazer.
O show é uma graça. Super bem elaborado e com certeza, adultos e crianças saíram mais que satisfeitos depois da apresentação.
Isaac curtiu, reconheceu todas as músicas, olhou atento os monstros que a Giramundo colocou pra animar a apresentação.
Astral lá no alto. Nota mil! Pra iniciativa e pra banda toda.
Amei. Amamos. E recomendamos. 




Ficou com vontade????
O Pato Fu tem um site bacana, com blog e agenda... Vale a pena!
Ah! Falando neles, o clipe de "Rock And Roll Lullaby" vai ser feito com fotos de filhotes de fãs. Quem quiser participar também consegue as infos no site.

Bjo bjo!

A lista

Então que eu fiquei mais fã ainda de alguns papais, companheiros, amigos, queridos das cibermãezocas.
Logo, todo mundo já faz parte do meu todo dia e se alguém some eu me ponho preocupada.
Tá.
Mas essa semana eles falaram/digitaram/postaram/abriram o coração participando da Blogagem coletiva "Nós, os pais".
E eles não falaram de ser pai só de uma maneira. Teve maridex dissertando e comentando sobre tudo quanto é assunto relacionado aos filhos, a vida e a educação. Cultura, dúvidas e emoções. Além da formação e do sustento (de várias maneiras) da família, lógico.
Então, senhoras e senhores, conforme prometido.....
Com vocês, a lista dos participantes da blogagem coletiva:


Ufa...
Se por um acaso ou mero esquecimento desta mente voadora seu post não está nesta lista pode dar puxão de orelha que eu mereço.
Deixe nos comentários que eu edito quantas vezes precisar, ok?

Beijo grande!

terça-feira, 1 de março de 2011

Tetê na madrugada??? NOT

imagem do Google




E daí que na última consulta com a pediatra levei um baldaço de água fria.
Mamadeira de madrugada?
NÃO! NÃO PRECISA MAIS!
Foi enfática a querida doutora.
Ok.
Mãe é pra essas coisas mesmo e outra, eu já sabia que estava na hora. Mas é que toda a comodidade de enfiar o leite confortante no Isaac às 3 da matina e ele dormir rapidinho logo em seguida me rendiam a volta pra cama mais rapidamente.
Egoísmo materno existe sim, não me orgulho mas também não me envergonho.
Então que naquela noite mesmo resolvi que o pedido do "quero um tetezinho" na sessão corujão não seria mais atendido.

- E como faz doutora???

- Fácil, fácil (?????)... Explique pra ele que aquela não é a hora de mamar. Que está todo mundo dormindo, descansando e que se ele estiver com sede você leva água ou água de côco pra ele tomar.

Ãhã...
Desde então, quando a cria resolve que é a hora de mamar, às 2h30, eu venho com a história toda. Acrescentei aí que ele precisa descansar também, senão não vai conseguir brincar com os amigos, aproveitar o dia.
Ainda brinco com o silêncio, peço pra que ele preste atenção se há mais alguém chorando dentro de casa ou na vizinhança, se tem algum barulho, se os passarinhos já acordaram ou se o Iron e a Keith já estão correndo pelo quintal.
Nas primeira noites eu já levava um copo com água pro quarto, coisa que não é mais necessária.
Tem madrugadas que ele chora sim, como essa noite (imaginem então a máscara de panda que já cultivo pros bailes de carnaval no final de semana), e demora mais a pegar no sono e/ou querer entender o que eu falo.
Mas na grande maioria das conversas noturnas, Isaac olha bem pra mim, até arrisca um beicinho, mas eu fico firme e a coisa tem fluído bem.
E logo, já faz quase um mês que o tetê das 3 não rola mais.
Tem dias sim, que a mamadeira brilha como se fosse a última esperança dos meus últimos minutos dormidos, mas eu sou mãe e sou brasileira e não desisto nunca.

Bjocas e ó... tô TÃO FELIZ com a blogagem papaizística que prometo fazer uma lista linkando toooodos os queridos participantes, ok?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails